Episódios do podcast

#93 - Travestis envelhecem?

Travestis com mais de 60 anos contam como sobreviveram à ditadura militar

Nesta semana, o Lado Bi pergunta: “Travestis envelhecem?” A frase dá título ao livro do pesquisador Pedro Sammarco que conta a história de várias travestis que hoje estão com mais de 60 anos, contrariando as estatísticas de violência contra essa população. No estúdio, Lili Vargas, 64, e Taís Azevedo, 65, falam dos horrores que sofreram na ditadura militar. “Eu fui tão estuprada que me acostumei. Me acostumei no sentido de ‘ai, vai, acaba logo’”, conta Taís que relata ainda que, no Rio de Janeiro, durante o regime militar, policiais e torturadores levavam gays e travestis para o morro da Urca, batiam, estupravam e depois os arremessavam de lá. “Eu sobrevivi porque me agarrei a uma árvore… O pior de tudo é você voltar de lá machucada, desnorteada e saber que seus dois amigos ficaram lá…” Já Lili fala que a solidariedade entre as travestis ajudava a sobreviver. “Os policiais de São Paulo não eram tão cruéis quanto os do Rio. Eles pediam 50 cruzeiros para cada uma não ser presa. A gente juntava dinheiro suficiente para todas, assim ninguém ficava presa.”

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários

Ennyo Rutkowski

Nossa que programa maravilhoso eu escuto lado bi já tem uma tempo e esse é uma dos melhores programas que eu já escutei. Queremos um extra desse programar…E vamos muda o tempo do pra pra 2 horas de programa vai fica ótimo kkk

Responder
Antonio

Tais rainha absoluta, vou reouvir esse programa com um bloquinho do lado pra salvar essas pilulas de sabedoria dela pra minha vida

Responder
Leon rocha

Gente, como vocês tem coragem de acabar um programa desses? Essas meninas maravilhosas precisam de no mínimo dois programas, de tão bom! Vocês precisam chamá-las para fazer mais programas!!! Quero muito ouvir mais histórias dessas pessoas sensacionais que vocês convidaram para esse programa. Meus mais sinceros parabéns!

Responder