Dois garotos descobrem o amor em curta animado muito fofo

“In A Heartbeat” é tão lindo que dói, e prova que não há idade para a homoafetividade

por Marcio Caparica

As animações têm feito bons avanços na maneira como retratam relacionamentos homosexuais –  seja em séries como Steven Universe ou de maneira mais sutil, como em Frozen. Mas a criança que já sente aquele carinho por alguém do mesmo sexo ainda não tinha um modelo que lhe ajudasse a compreender o que está acontecendo. O primeiro passo para resolver essa questão já foi dado: foi lançado ontem no YouTube o curta-metragem In A Heartbeat (“Na batida do coração”, em tradução livre), que em 4 minutos mostra os apuros de um garoto apaixonado por outro colega de escola quando seu coração resolve falar mais alto – literalmente.

O vídeo, totalmente sem diálogo, foi dirigido por Beth David e Esteban Bravo para o Ringling College of Art and Design. Seu sucesso meteórico – já foi visto mais de 5,5 milhões de vezes – prova que histórias com personagens LGBT não são por causa disso menos universais, e são capazes de comover crianças e adultos, héteros e homos. “Muita gente ansiava por ver esse tipo de relacionamento retratado não apenas na mídia em geral, como especialmente nas animações”, afirma Bravo ao site MTV.com. “As pessoas ficaram super animadas, e muitas pessoas LGBT finalmente veem-se representadas. Isso as inspira.”

In A Heartbeat foi criado por David e Bravo como um trabalho de conclusão de curso. No final do ano a dupla lançou uma campanha de financiamento coletivo para ajudar nos custos da produção. Foi um sucesso: a meta inicial era de 3 mil dólares, mas os alunos conseguiram arrecadar 14 mil. Com isso, puderam contratar o compositor Arturo Cardelús, responsável pela trilha do curta, e o sonoplasta Nick Ainsworth. A música era algo especialmente importante, já que não há falas no curta: “é algo mais impactante, porque ressalta a maneira como os personagens agem, não o que dizem”, explica David. “Nós sempre apreciamos isso nos filmes que assistimos e buscamos trazer isso para nosso trabalho desde o início.”

Pôsters com paródias de filmes foram usados para a campanha de financiamento coletivo de In A Heartbeat.

Pôsters com paródias de filmes foram usados para a campanha de financiamento coletivo de In A Heartbeat.

A primeira versão do roteiro colocava uma garota como o alvo da paixão do coraçãozinho (e seu dono), mas muito cedo decidiu-se que In A Heartbeat mostraria a paixão entre dois garotos. Com isso, o trabalho ganhou um significado especial para seus autores. “Sempre dissemos um para o outro que esse é o tipo história positiva que a gente gostaria de ter visto quando éramos crianças”, lembra David. “Na hora que a história passou a ser sobre dois meninos, meu envolvimento emocional com o filme mudou”, completa Bravo. “Eu me comovia enquanto escrevíamos o roteiro.”

A resposta ao curta está sendo impressionante: “Tem gente criando gifs e desenhos inspirados pelo nosso filme. Quando outros artistas reproduzem o que você criou, você sabe que fez algo bacana”, comemora Bravo. A ONG Human Rights Campaign recomendou In A Heartbeat, comentando que “todos vão se reconhecer aqui”. Afinal, todo mundo fica em apuros quando chega o primeiro amor. Quando a orientação sexual entra em jogo, a situação fica ainda mais complicada. Vamos torcer para que mais obras como essa venham mostrar o que todos temos em comum e celebrar o que torna cada relação única.

Apoie o Lado Bi!

Este é um site independente, e contribuições como a sua tornam nossa existência possível!

Doação única

Doação mensal:

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário