5 maneiras simples de apoiar seu parceiro soropositivo

Entrar num relacionamento sorodiscordante não precisa ser um campo minado. Confira algumas maneiras de demonstrar que um vírus não vai se tornar um bicho de sete cabeças para vocês

por Marcio Caparica

Traduzido do artigo de Alex Kopel para o site HIVEqual

Quando se embarca num relacionamento com uma pessoa soropositiva, ou quando o(a) parceiro(a) acabou de descobrir que contraiu HIV, é comum não saber ao certo como demonstrar todo o apoio que se quer oferecer. Para começar, é legal se lembrar que todos os relacionamentos têm seus altos, baixos e peculiaridades que ambos vão ter que processar juntos. Viver com HIV sem dúvida traz sua dose de questões, mas a soropositividade não precisa necessariamente colocar o relacionamento em risco, ou sequer defini-lo.

A seguir, confira cinco dicas simples de como ser o melhor parceiro que seu namorado ou namorada que vive com HIV poderia querer.

1. Não se agarre ao passado

O fato de seu parceiro(a) ter sido diagnosticado(a) com HIV não quer dizer necessariamente que ela(e) foi descuidada(o) ou fez algo muito errado. Todos nós temos nossa história, e todos já fizemos algo que nos colocou numa situação de risco alguma vez na vida. Ficar remoendo o passado não ajuda em nada o presente. É melhor desapegar do passado e seguir em frente juntos, concentrando-se em como você pode ajudá-lo(a) agora.

2. Eduque-se

Educar-se sobre o HIV, além de ajudar a apaziguar seus temores, é uma maneira incrível de demonstrar a seu(sua) parceiro(a) que você se importa com ela(e) e está do seu lado. Mantenha-se a par das últimas pesquisas científicas, dos tratamentos mais recentes e das novas formas de prevenção. Fique a par dos fatos para ajudar sua(seu) parceira(o) a se manter otimista, e reafirme que tudo vai ficar bem.

3. Vá com ela(e) ao médico

Demonstre seu apoio acompanhando seu(sua) parceiro(a) ao médico, ou indo com ela(e) buscar a medicação. Deixe claro que você quer fazer isso não porque ele(a) tem algo a temer ou porque precisa da sua ajuda, mas porque você quer um participe de todos os aspectos da vida do outro. Fazer um exame de sangue não é tão diferente de outras obrigações cotidianas que todos têm que cumprir, e pode ser uma boa maneira de aproximar o casal.

4. Comuniquem-se!

Todos sabem que a boa comunicação é parte essencial de qualquer bom relacionamento, mas ela é ainda mais importante quando sua(seu) parceiro é soropositiva(o). Conversem sobre como e quando vocês querem falar sobre isso com o resto da família (se sentirem que devem contar). Se vocês estão num relacionamento aberto, discutam como isso altera a maneira que vocês vão lidar com outras pessoas. Certifique-se que seu(sua) parceiro(a) sabe como você está se sentindo, e também tome o cuidado de escutar o que ele(a) tem a dizer sobre o que está vivendo e suas necessidades.

5. Demonstre todo amor que houver nessa vida

Deixe claro para seu(sua) perceiro(a), quantas vezes for necessário, que a soropositividade não muda em nada a pessoa que ele(a) é, nem o amor que vocês sentem um pelo outro. Com o tempo, o HIV torna-se apenas mais um detalhe em suas vidas juntos. Com compreensão mútua e apoio, a soropositividade pode até vir a fortalecer a relação que vocês já têm.

Dica extra: a maneira como se conversa sobre a soropositividade pode fazer toda a diferença. Quando não se trata o vírus como um rinoceronte se escondendo no canto da sala, ele não se torna um monstro. Perguntar sobre os resultados dos exames com atenção, mas sem drama, ajuda muito a mostrar que você se importa, mas não está sendo engolido pelo diagnóstico. Entrar numa rotina de testar-se frequentemente (muitos centros médicos contam com programas que facilitam a vida de parceiros de pessoas soropositivas) também ajuda a manter ambas as partes tranquilas quanto a sua saúde. Acredite, o parceiro soropositivo de um casal sorodiscordante está tão interessado quanto você em manter seu status sorológico negativo.

Apoie o Lado Bi!

Este é um site independente, e contribuições como a sua tornam nossa existência possível!

Doação única

Doação mensal:

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 comentários

Mike

Interesaante, eu me mudei para os EUA, conheci um cara e comecei a namorar ele, meses depois ele me pediu em casamento e até então não tinha falado pra ele que eu era soropositivo, fiquei com medo da reação.. dois meses após casado ele me perguntou se eu era soropositivo, eu disse que sim.. não mudou exatamente nada entre nós, o médico disse que não tinha necessidade de usar camisinha porque a minha saúde estava ótima… enfim, tudo que eu mais temia após descobrir ser soropositivo era de ficar sozinho, as pessoas terem nojo talvez.. tudo isso se provou não ser verdade, é possível ter uma vida normal.

Responder
Sim sou o+

Meu namorado ele me aceito mais nao temos mais relação sexual nem a mais de 3 anos ele fala isso que ta bom assim, muita gente q paralítica e vive junto, com isso eu me esfrei com ele. Ele tá fala q me ama mais nao posso fala de sexo temos q sai junto do pra festa, bar, cinema, shopoing. Comversa pelo tel isso ta bem melho q sexo. Então me sinto preso à ele por niguem me aceita ser soropositivo isso me doi mais ainda …….

Responder
Renato

Meu namorado é soropositivo e eu o amo muito. Ele me garantiu que nunca fez sexo sem preservativo, e no entanto foi contaminado. E eu acredito nele, pois o conheço e conheço sua mente. Acho interessante passar isso.

Responder