Artigo: Não se trata de sua opinião, você simplesmente está errado

O jornalista Jef Rouner explica por que uma opinião não se torna válida ou respeitável simplesmente porque você ou a maioria das pessoas acha que aquilo é verdade

por James Cimino

Volta e meia, quando se abre o Facebook ou quando nós aqui do Lado Bi escrevemos algum texto falando sobre como as pessoas podem ser racistas, misóginas ou homofóbicas, muitas vezes involuntariamente e sem perceber, somos confrontados com o seguinte “argumento”: “esta é minha opinião e você deveria respeitá-la”.

Exemplo que se tornou clássico aqui no blog foi o texto do Marcio sobre os gays “machudos” que discriminam gays efeminados, afinal, em sua opinião, a única forma correta e aceitável de conduta para um homossexual é agir como um heterossexual. Ou, ainda, o texto sobre seletividade étnica que muita gente insiste em chamar de gosto enquanto nós chamamos de puro racismo mesmo, apesar de um sem número de comentários de gays que “não são racistas, apenas não curtem negros”, afinal, esta é sua opinião e nós devemos respeitá-los. Ou, ainda, os g0ys, que revelamos aqui, e que muita gente da comunidade acha que devem ser “respeitados”, ignorando o fato de que este grupo se baseia em uma pseudo-filosofia baseada na discriminação, preconceito e patologização dos LGBTs e do sexo anal.

Sem falar nos fundamentalistas religiosos que também “não são homofóbicos, apenas acham que homossexuais são aberrações que deveriam ser isoladas em uma ilha para desaparecerem e, assim, livrar o mundo de sua incômoda existência”. E se você por ventura apresenta qualquer argumento que invalide essas opiniões, como por exemplo o fato de que gays não desapareceriam se isolados em uma ilha porque heterossexuais continuariam tendo filhos gays, você automaticamente se torna o intolerante, o opressor.

Bem, eu já disse e repito muitas vezes: não tenho que respeitar sua opinião só porque ela é sua. Subjetividade alguma dá legitimidade a nada. E um preconceito, por mais que seja compartilhado por milhões de pessoas, não torna um equívoco ou uma mentira válidos. A História com H maiúsculo está cheia de exemplos deste tipo, como a teoria heliocêntrica que quase mandou Galileu Galilei para a fogueira pela Santa Inquisição ou a ideia de que negros e índios não tinham alma e poderiam portanto ser escravizados. E olha que nem falei de quem usa a Bíblia como evidência de alguma verdade científica.

Mas se, neste caso, minha “opinião”, ou melhor, minha argumentação for pouco para convencê-los do contrário, traduzi aqui um texto chamado: “Não, não se trata de sua opinião. Você simplesmente está errado”. O artigo foi publicado no site Houston Press e foi assinado por Jef Rouner.

Eu tive tantas conversas ou trocas de e-mail com alunos nos últimos anos em que eu os enfureci pontuando que simplesmente dizendo: “Esta é a minha opinião” não evita que uma declaração seja ridiculamente errada. Ainda me deixa perplexo que alguns sintam que essas palavras de alguma forma lhes dê carta branca para transformar qualquer bobagem em análise ou prosa. E realmente me assusta que alguns desses estudantes pensem que a educação que desafia suas idéias é equivalente a um ataque às suas convicções.

Mick Cullen

Eu gasto muito mais tempo discutindo na internet do que pode eventualmente ser saudável e, nessa “brincadeira”, a palavra que eu detesto mais que qualquer outra é “opinião”. Opinião, ou pior ,”crença”, tornou-se o escudo de cada noção mal-concebida que os vermes das mídias sociais usam para traçar seu caminho.

Há uma concepção comum de que uma opinião não pode jamais estar errada. “Meu pai disse.” Ora, o pai de todos, provavelmente, disse algo que, em termos mais estritos, pode ser verdade. No entanto, antes de se agachar atrás de seu escudo protetor você precisa perguntar a si mesmo duas coisas:

  1. Isto realmente é uma opinião?
  2. Se é uma opinião, quão carregada de informação ela é e por que eu me apego a ela?

Eu vou ajudá-los com a primeira parte. Uma opinião é uma preferência usada para o julgamento de alguma coisa. Minha cor favorita é preto. Acho que hortelã tem um gosto horrível. Doctor Who é o melhor programa de televisão. Estas são todas opiniões. Elas podem ser exclusivamente minhas ou maciçamente compartilhadas entre a população em geral, mas todas elas têm uma coisa em comum: não podem ser comprovadas além do fato de que acredito nelas.

youropinionsucks

“Você tem direito a sua opinião, e eu tenho o direito de te dizer o quão estúpida ela é.”

Não há nada de errado com opiniões desse tipo sobre essas coisas. O problema vem de pessoas cujas opiniões são, na verdade, equívocos. Se você acha que as vacinas causam autismo você está expressando algo factualmente errado, não uma opinião. O fato de que você ainda pode acreditar que as vacinas causam autismo não transporta o seu equívoco para o reino da opinião válida. Menos ainda o fato de que muitas outras pessoas compartilhem deste parecer lhes dá mais validade.

Para citar John Oliver, que mostrou uma pesquisa Gallup em que um a cada quatro americanos dizem acreditar que a mudança climática não é real em seu programa Last Week Tonight: “Quem se importa? Você não precisa da opinião das pessoas sobre um fato. Você pode muito bem ter uma enquete perguntando: ‘Qual número é maior? 15 ou 5?’ ou ‘Não existem corujas?’ ou ‘Existem chapéus?’”

Você ouviu a mesma coisa recentemente quando perguntas sobre o que representa a bandeira confederada. Pode ser a sua opinião de que a escravidão não foi a causa da Guerra Civil Americana, mas artigos sobre a Secessão do governo do Texas mencionam a escravidão 21 vezes (direitos são mencionados apenas seis e apenas em uma frase que não menciona nem a escravidão ou como pessoas brancas são maravilhosamente melhores que pessoas negras). Eu ainda preciso salientar que algumas pessoas também são da opinião de que o Holocausto é uma farsa e que a sua opinião não significa absolutamente nada em relação à realidade?

E, sim, às vezes de dados científicos ou históricos podem estar errados ou pouco claros ou necessitam de uma análise mais aprofundada. Todo mundo sabe que a água se expande quando se congela. Você sabe por que ela faz isso quando literalmente nada mais no mundo faz? Não e nem a ciência. Ou, outra pergunta, qual foi a herança racial dos antigos egípcios e por que os historiadores não podem chegar a um consenso a esse respeito já que sua arte é muito estilizada para avaliarmos isso com precisão?

Temas como esse são o tipo de coisa que estão ávidos a uma opinião. “A água se expande quando se congela por causa da forma da molécula”; “Os egípcios eram uma raça de negros africanos que se deslocaram e se instalaram no Nilo”. Aqui, a opinião pode ser um marcador de posição na tentativa de se obter uma maior compreensão, mas assumindo-se que podem existir maiores compreensões sobre isso. Não há nenhuma verificação. É algo imaginado com base em educação apenas.

É aí que a segunda questão vem. Sua opinião é informada e por que você acredita nela? Embora tecnicamente estes pareceres podem não estar errados, eles podem ser carentes de veracidade, simplesmente porque eles são carentes de estrutura.

Aqui está um exemplo: Vamos dizer que eu me encontro com um companheiro fã de Doctor Who e seu intérprete preferido deste papel é o ator David Tennant. Nada de errado até agora. No entanto, após discutir mais o assunto este fã me diz que ele ou ela nunca viu qualquer um dos episódios antes de 2005 nem sequer ouviu qualquer um dos programas exibidos no rádio. É possível que, mesmo assim, ele ou ela tenham David Tennant como seu doutor favorito, mas também é possível que Tom Baker ou Paul McGann ou alguma outra pessoa sejam melhores.

Em um mundo perfeito, alguém confrontado com estas afirmações simplesmente diria: “Bem, David Tennant é meu favorito dentre os que eu já vi.” Há muitas razões pelas quais não vi nenhum Doctor Who mais velho. Nem tudo está na Netflix, acessar os programas de rádio pode ficar mais caro etc. Ter um parecer estreito a partir de um conjunto restrito de informação é apenas natural.

O problema é quando um conjunto restrito de informações é assumido como sendo maior do que realmente é. Há uma diferença entre uma crença e coisas que você simplesmente não sabia. É fácil de acreditar, por exemplo, que os brancos enfrentam tanta discriminação como pessoas de cor, mas apenas se você estiver completamente alheio às taxas de desemprego de negros em relação a brancos, ou ao fato de que dentre os 500 CEOs listados pela revista Fortune, apenas cinco são negros, ou ao fato de que dos 43 homens que foram presidentes dos Estados Unidos, 42 deles tenham sido brancos.

Em outras palavras, você pode formar uma opinião em uma bolha, e para o primeiro par de décadas de nossas vidas isso é tudo o que fazemos. No entanto, eventualmente você vai se aventurar no mundo e achar que o que você pensou que era uma opinião informada era na verdade apenas um pequeno pensamento com base em poucos dados e majoritariamente em seus sentimentos. Muitos, muitos, muitos dos seus pareceres vão passar a ser fruto de desinformação ou apenas errados. Não, o fato de que você acredita nisso não faz com que eles sejam mais válidos ou de valor, e ninguém deve respeitar o seu ponto de vista a qualquer respeito simplesmente porque ele é seu.

Você pode estar errado ou alienado. Isso vai acontecer. A realidade não se preocupa com seus sentimentos. A educação não existe para te perseguir. Os mal informados não são uma minoria étnica sendo oprimida. O que é isso? Planejamento familiar, como ouvi muita gente dizer, não significa picar bebês mortos e vendê-los por dinheiro legal. A aprovação do casamento igualitário ou a concessão de direitos a LGBTs não irá obrigá-lo a se tornar gay nem vai destruir as famílias tradicionais. Negros não são intelectualmente inferiores aos brancos, assim como os índios não são criaturas desprovidas de alma. Não é isso que realmente acontece. E não, não se trata de sua opinião. Você simplesmente está errado.

Apoie o Lado Bi!

Este é um site independente, e contribuições como a sua tornam nossa existência possível!

Doação única

Doação mensal:

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

42 comentários

Douglas

Algumas dúvidas para os que dizem “mas é só meu gosto” ou “minha opinião é essa, aceitem”: O que é gosto/opinião? De onde ele/a surge?

Responder
Eduardo

Esse vitimismo me da nojo, agora tudo é homofobia, machismo, racismo. Não gosto de afeminados, não quero eles perto de mim. A maioria querem escandalizar, cantar homem hétero na rua, depois que apanha não sabe porque foi né? Por isso eu odeio gays afeminados que ficam soltando a franga, se vestindo de mulher, se mostrando feito uns condenados, ai todos pagam por esses atos idiotas, porque ser gay é gostar de outro homem não quer dizer que você deixou de ser homem, ai vem esses sem moral e fica querendo fica querendo chamar a atenção, se maquiando feito palhaço, envergonhando a imagem dos homossexuais de respeito. O que estraga a nossa imagem são as bibas escandalosas que querem ser mulher a todos custo.

Responder
Eduardo

Quem não tem ódio das bichas frescurentas? Só mostram coisas negativas sobre a homossexualidade.
Eu tenho vergonha desse tipo de gay.

Responder
Clara

É uma pena que suma maioria dos comentários sejam tão preconceituoso.O mais idiota de ainda se discutir se é certo ou não o homossexualismo,é que a opção sexual só diz respeito a quem a escolhe,mas como se se achando superior,alguns desprezíveis se empoem a tal ponto de ferir de diversas maneiras essas pessoas.Hoje em dia temos que frequentar nossos empregos e colégio e aguentar o resultado de existirem tantos fanáticos,e mais,o fato deles terem uma “opinião”,significa que a sua não tem espaço.A verdade é que bastaria podermos amar que quiser,mas cada vez parece que isso não é possível.Parabéns pelo blog lindo,eu shippo vocês :3 !

Responder
Eduardo

Mas daí você quer julgar e condenar gays brancos viris a se relacionar com negros e afeminados e chamá-los de racistas preconceituosos? Eles não tem direito à escolha? a pessoa em questão é obrigada a se relacionar com quem não sente atração?

Responder
Marcio Caparica

Pare para pensar sobre o quanto da sua atração é construída, e se você realmente acha que dentre milhões de negros e/ou milhões de afeminados, não há UM “sortudo” que lhe causasse atração. Qual é a probabilidade estatística de que não exista um único negro e/ou afeminado que seja bonito, inteligente, gostoso e tudo mais o suficiente para você? Se você continua achando que não existe, então, sim, você é preconceituoso.

Responder
Eduardo

Então quer dizer que agora os gays “machos” simplesmente não podem expressar suas preferências?
Entendo que haja o preconceito, mas a linha é muito tênue entre preconceito e uma simples preferência. Se a pessoa não gosta de parceiros sexuais com características femininas, ele precisa ser crucificada por isso?
Não concordo com segregar, maltratar ou humilhar. Mas agora chegar ao ponto de fazer alvoroço por conta de gosto? eu acho exagero.

Responder
James Cimino

Desculpa, Eduardo, mas caso você não esteja percebendo, sua atitude de não ficar com um negro ou um efeminado POR DEFINIÇÃO é segregar e humilhar. Os evangélicos usam o mesmo discursinho: ai, mas não posso expressar minha opinião [preconceituosa] sobre homossexuais? Na boa? Eu acho que negros e efeminados levam uma tremenda vantagem no fato de pessoas como você não quererem ficar com eles. E em última instância, como bem disse o Tom aqui, tenho é muita pena de gente como você que se poupa de viver talvez experiências novas, reveladoras e libertadoras. Quando escrevo textos como esse, minha intenção não é obrigar ninguém a ficar com ninguém à força porque sou contra sexo não consensual. Quando eu escrevo coisas como essas eu quero mesmo é colocar gente pra vestir carapuça e pra pensar em quanto esses posicionamentos e “preferências” apenas disfarçam atitudes racistas, misóginas, machistas, elitistas etc. E como você mesmo se entregou, você acha que é uma condenação sair com um negro e com um efeminado. De fato é, para eles. Ninguém deve mesmo ser obrigado a se relacionar com gente preconceituosa.

Responder
Dante

James, não esqueçam você e o Márcio de avisar a data e o horário da canonização de vocês, tá? Porque pqp, tem que ser santo pra toda vez ter que ficar repetindo as mesmas coisas pra quem não entende o que lê e que não mostra disposição alguma para refletir sobre as contradições do mundo ao redor. Eu até um tempinho atrás ficava discutindo com a maior boa vontade, mas confesso que ultimamente ando sem paciência nenhuma, tem hora que eu tenho simplesmente vontade de sair correndo gritando “chegaaaaaa”. Só de ler ou ouvir a expressão “gay macho” eu já fico com preguiça e um leitor ou ouvinte atento dessas “opiniões” repletas de lugares comuns logo percebe que é sempre o mesmo papinho de quem enxerga masculinidade como virtude, de quem ostenta um conceito bastante empobrecido do que é ser homem, e por aí vai. Na boa, James, tá muito f* o machismo no meio gay, muito cara, eu estou a cada dia mais chocado com tanta resignação voluntária da galera ao que existe de mais arcaico na sociedade em relação a temas de gênero e sexualidade.

Tom

Acho que a própria classificação do desejo já nos aprisiona. A pessoa pode ter um gosto definido? Claro que pode. Acho que não é o caso de julgar o gosto, mas considerar que há sempre algo além desse limite que a gente inventa sem perceber.
Pra mim é um pouco claro que construímos alguns desses gostos em crenças. Por exemplo, a pessoa fala que não tem atração por negro. OK. E por que a gente não vê alguém falando que não tem atração por deficiente físico? Primeiro, porque pegaria muito mal. E depois porque ela nem considera encontrar pela vida um deficiente. São invisíveis no radar gay. Já os negros, não. Estão ali, pra quem quiser ou não ver. Assim como os afeminados.
Não sei se consegui me fazer entender, mas quis dizer que a gente fica construindo muros e portas com as coisas que vê, e acha que está escolhendo.
Não está. Está apenas seguindo o fluxo. Seguindo normas, conceitos do que seria o bom e o melhor pra gente.
Se o mundo fosse só de gays brancos, lindos, másculos, qual critério a pessoa usaria pra ter um gosto? Ia escrever o que no grindr?

Responder
James Cimino

Adoro o quanto pessoas como você Eduardo se afundam cada vez mais em seu mar de preconceito ou, como dizia meu avô, como o peixe morre pela boca. Quer dizer então que ficar com um negro ou com um gay efeminado é uma condenação? Mas, claro, você não é racista, nem machista, nem misógino, esse é apenas “o seu gosto”, “sua opinião”. Continue, por favor, quem sabe em 100 anos você consiga elaborar algo convincente…

Responder
Tom

Não sei nem se cabe aqui um pequeno depoimento pessoal: eu tbm sempre tive (e ainda tenho resquícios de) preconceito com afeminados, e olha que não sou exatamente um macho viril na idealização que faz o amigo acima.
Até que um dia conheci um garoto bem mais novo e levemente afeminado, mas não me incomodou. Tinha vezes que ele queria sair com umas roupas meio pintosas demais, e eu pedia pra trocar, tinha vergonha, admito.
Não acho que superei totalmente esses preconceitos, mas foi um primeiro grande passo.
Mas o ponto que quero chegar é outro: na cama, o cara virava esse macho viril másculo como eu raramente vi em homens másculos. Sério, não é papo furado pra embasar nenhuma teoria boba.
A “passivinha afeminada” virava um segurança de boate na voz, no jeitão. Ao passo que sabemos que muuuiiitos machões viram fêmeas na cama.
Não tenho nada contra quem é o quê na cama ou fora dela. Só quis desenhar esses perfis definidos por uma sociedade boba e hipócrita, que esconde o que mais lhe dá prazer.

Responder
Tom

Acho que nesse debate nos comentários ficou claro que o James propõe uma desconstrução do nosso desejo, quiçá uma reflexão, afinal, é isso que nos distingue dos animais instintivos.
Podemos refletir sobre nossos gostos, podemos ampliar as experiências de vida, e principalmente podemos eliminar preconceitos que julgamos culturalmente aceitáveis sob a logomarca “gosto”.
E acredito que nos permitirmos pelo menos dar um passo além dos nossos “gostos” sempre traz um ganho em nossas vidas e nas das pessoas com quem cruzamos.
Essa nossa (da sociedade) necessidade de ter e sair declarando os “gostos”, em se tratando de sexo fala muito mais sobre nós mesmos do que especificamente de sexo, de tesão.
Não acho que devíamos ficar apontando o dedo na cara das pessoas por conta do “gosto” delas, mas provocar a reflexão, quem sabe causar uma mudança.
Pelo jeito afirmativo, pela personalidade contundente, acho que James de vez em quando acaba soando um pouco radical, se suavizasse um pouco nos debates, mesmo irritado ou de saco cheio poderia ser mais agregador do que antipático. Ele sabe que penso isso pois já enchi o saco dele antes.
Mas sabemos que a intenção dele é promover a reflexão, o debate. E por isso escreve ou traduz textos como esse. E, da minha parte, estou sempre agradecendo pela oportunidade que ele proporciona, independente se concordo ou não.
Não lemos (seja o que for) para encontrar espelho e conforto. Lemos para descobrir o que ainda não sabemos. E, nisso, acho que James e o LadoBi vem oferecendo, inclusive no programa na rádio.
Por último, eu acho que há mais coisas a experimentar no mundo do que apenas aquele tipinho que a gente elegeu. Já cantava o EBTG, “Narrow streets breed narrow minds “

Responder
Júnior

Só que eu também tenho o direito de não querer mudar, de não me adaptar ao que os outros acham que é o certo para mim, se uma pessoa quer experimentar de tudo, ótimo, e se uma pessoa quer continuar com seus gostos e desejos, não deveria ser questionada ou criticada por isso!

Responder
Tom

Em essência, ninguém é obrigado a nada na vida. Muito menos a trepar com quem não quiser. O que TALVEZ a gente lamente é ver pessoas possivelmente interessantes tão agarradas a suas convicções, o que normalmente as tornam absolutamente insossas, desinteressantes, óbvias, inexpressivas, cansadas, repetitivas, retrógradas e frescas demais, sem falar no coitadismo, ui mexeram no meu gosto.

Responder
Eduardo

Não concordo em nada que você disse.
Sou gay, mas nem por isso vejo essa necessidade de essência feminina que você diz, forçando a voz ou agindo como uma bicha louca. Ah, fala sério!
Sua visão está completamente distorcida. Ser gay é gostar de homem, e não tentar agir como um viado fresco, que é isso o que você deve fazer.
Não tenho nada contra “vocês”, mas são suas atitudes que denigrem a imagem dos discretos e enrustidos. Afeminados são os que mais estão envolvidos em escândalos e que mais têm necessidade de chamar a atenção.

James Cimino

Ai, Eduardo, você vem aqui sempre na tentativa vã de ver se encontra alguém de bom senso que concorda com essas bobagens que você diz, né? Então, vamos por partes. Em primeiro lugar você é um misógino que acha que qualquer traço de feminilidade é algum tipo de defeito ou demérito, né? Pois é, mas saiba que a sociedade que você tanto ama e quer fazer parte acha que dar o cu e chupar rola, que, acredito eu, você faz bastante, também são traços “femininos”. Então, pra essas pessoas, pouco importa se você “nem parece gay”. No fim das contas, você faz isso tudo e é viado e pronto. Então, não existe pantone de viadagem em que tem o mais viado e o menos viado. Dois, pare de usar o verbo denegrir, é racista, use depreciar, desqualificar etc. Três: a meu ver quem mais contribuem para a péssima imagem dos LGBTs no mundo são esses viados que você chama de “discretos”, mas que nós aqui chamamos de enrustidos mesmo. E sabe por que, Eduardo? Porque historicamente quem lutou para que hoje um ignorante como você possa viver seu sonho de comercial de margarina, se casar, adotar filhos e posar de “menos gay” para essa sociedade machista, misógina e homofóbica foram exatamente as bichas que você tristemente resume a termos típicos de velhas fofoqueira como “escandalosas”. Quem enfrentou a polícia em Stonewall Inn foram trans, travestis, sapatas caminhoneiras, negr@s, ou seja, tudo isso que você despreza, enquanto os gays “de bem”, como você, “discretos” estavam lá se acovardando e apontando o dedo enquanto elas apanhavam. Pra mim quem desqualifica a homossexualidade é quem vive com vergonha dela e vive fingindo ser o que não é. Afinal de contas, a mensagem que gente como você passa é de que realmente há algo de errado em ser gay, afinal, nem ele gosta de assumir, né? Aliás, assumir é uma palavra bem adequada para quem acha que tem comportamento criminoso. E, numa boa, se você vive entre pessoas que te julgam pelas atitudes dos outros, acho que tá na hora de você dar uma revisada nas suas amizades, hein, porque, pela enxurrada de mágoa e equívoco que você posta, sua vida tá bem triste.

Eduardo

1)Eu acho que os discretos e enrustidos tem o direito em não querer expor a sua orientação sexual para o mundo.

2)Nem todo gay quer sair por ai soltando a franga com a cara toda pintada de tinta na rua.

3)Eu acho desnecessário e estranho caras afeminados, porque o que incomoda a população é o modo escandaloso que “Alguns Gays” se comportam que francamente acaba a imagem do gay normal ou discretos.

James Cimino

1- Eu também acho que os enrustidos têm o direito de não expor sua sexualidade para o mundo, só não têm o direito de pedir aplauso por isso, porque quem tem vergonha do que é não merece elogio. Agora, a questão aqui é: por que eles fazem isso, uma vez que NENHUM hétero se acha na obrigação de fazer isso?

2- Nem todo gay tem que sair por aí soltando a franga. Fato. E nenhum gay “discreto” tem o direito de apontar o dedo pra quem pinta a cara. Até porque quem pinta a cara é mais macho que quem se esconde dentro de um armário de medo de ser quem é. E, como eu disse no comentário anterior, é pra essas quem pintam a cara que nós todos devemos a pouca liberdade que hoje temos.

3- Eu também acho desnecessárias um monte de regrinhas idiotas de conduta que nossa sociedade patriarcal exige. E o que eu faço é simplesmente não segui-las. Eu acho ridículo quem se quebra de pau porque o time perdeu. Acho ridículo viado que não tem coragem de admitir pra própria família quem é por medo de ser rejeitado, quando, na verdade, a meu ver, família e amigos de verdade te amam e te aceitam pelo que você é, não pelo que você parece ser.

Eduardo

Que coisa mais chata. Não se pode mais ter opinião que tudo vira preconceito agora? realmente polemizar esse assunto revela a ignorância de vocês.
Não é atoa que o movimento LGBT é chamado pela sociedade de extremista e gayzista.
Por isso que a maioria dos homossexuais não sente mais representado por essa porcaria chamada de movimento LGBT.

James Cimino

Ai, Eduardo, cada vez que você vem aqui eu acho que você é um fake do Malafaia. Sabe o que é chato? Você vir aqui sempre falar o pior tipo de merda, aí eu vou e te explico tintin por tintin, com base em fatos, porque tudo o que você fala é estupidez pura e preconceito puro. Aí você treplica com essa inversão de valores dizendo que somos extremistas e preconceituosos. Primeiro lugar, meu caro, nunca dissemos que representamos a totalidade dos LGBTs do Brasil. Gente como você, por exemplo, não representamos mesmo. Gente com essas ideias de o que é um homem de verdade e o que é uma mulher de verdade, que meramente reproduz o discurso do Bolsomerda. Gente que acha o máximo quando discrimina seus iguais. Sinceramente, ser chamado de ignorante por um ignorante é elogio. Então eu te dou duas dicas: 1- apresente algum argumento plausível sobre todas essas barbaridades que você tenta justificar com base em PRECONCEITO e quem sabe teremos uma discussão (acho muito improvável, visto que depois de todos os motivos e fatos que te dei a única coisa que você conseguiu fazer foi chamar a gente de ignorantes); 2- vá procurar leitura em outros sites que comunguem com esses seus valores cagados, quem sabe lá você encontra aplauso. Aqui você não vai achar. Falou!

Júnior

James, esse texto fala sobre coisas lógicas, como o holocausto, todos sabemos que existiu e das consequências devastadoras, o racismo existe e é inegável, do mesmo jeito que tem quem ainda hoje acredite que os dinossauros são invenção para desacreditar a bíblia e que a terra é plana, o texto fala sobre você negar coisas óbvias com a desculpa de ser sua opinião, o que meu GOSTO pessoal tem em comum com o texto? Eu não disse que racismo não existe, eu não falei que coisas comprovadas não existem por causa da “minha opinião”!!! Não entendi o fato de não curtir negros, ou de quem não gosta de afeminados ou quer se intitular como goy vai contra algo comprovado? Gostos não vão ser mudados por que alguém acha que deveriam, o texto fala sobre outro tipo de coisa, e você misturou tudo, sem fazer o menor sentido! Agora eu que te digo, bicha, melhore e pare de tentar manipular a vida dos outros! Cada um tem direito a seus gostos e opiniões!

Responder
Júnior

Então basicamente nenhuma opinião tem valor? Temos que seguir uma cartilha para saber o que pensar e o que falar? Isso seria ditadura? A minha opinião é certa para mim, se não curto negros, nada no mundo vai mudar isso, pode chamar de racista, do que for, é meu gosto, minha vida e não deve explicações para ninguém, não sou obrigado a viver do modo que outra pessoa acha que é certo, se fosse assim, os religiosos também teriam o direito de impor suas crenças e todos deveriam respeitar!

Responder
James Cimino

Basicamente nenhuma opinião baseada em preconceito tem valor. E a sua é baseada em cor de pele, ou seja, é racismo e não importa o que você pense sobre isso. É racismo. É um fato. Você despreza alguém por conta de sua cor. E outra: o simples fato de você dizer que “não vai mudar nunca” já te coloca na mesma categoria dos evangélicos que você critica. Eles dizem isso o tempo todo porque acham que o que pensam é a verdade absoluta dos fatos. Lamento muito por você.

Responder
James Cimino

E se for assim, eu teria que respeitar a opinião de um neonazista e de um homofóbico porque, afinal, é a opinião dele. Bicha, melhore!

Responder
Júnior

É muito diferente, se eu não curto me relacionar com negros, afinal só sinto tesão em branco, não significa que eu saia atacando e querendo exterminar pessoas negras, que eu odeie elas e quero que acabem, entendeu a diferença? Meu gosto é assim, eu não sou racista por não querer me relacionar com pessoas negras! Um neonazista odeia e quer exterminar gays, negros, nordestinos e o caralho a quatro, isso é ódio! Se meu gosto não faz mal a ninguém, não ataca ninguém, não fere ninguém, a sua comparação é no mínimo infeliz!

Responder
James Cimino

“Não sou racista, apenas não curto me relacionar com brancos” é tipo “não sou homofóbico, apenas não curto me relacionar com gays”. Mas isso é só meu gosto. Nossa, continue, desenvolva mais essa argumentação maravilhosa sobre sua aversão a negros. BULLSHIT! O FATO DE VOCÊ COLOCAR A COR DA PELE DE ALGUÉM COMO FATOR IMPEDITIVO PARA UMA RELAÇÃO ÍNTIMA E AFETIVA COM ELES É A PROVA CABAL DO SEU RACISMO. Você apenas não admite, porque você não se vê assim. Você acha que é gosto e que isso é normal, mas se você quer me convencer de que em sete bilhões de humanos você não irá NUNCA MUDAR sua opinião sobre qualquer negro simplesmente porque ele e negro, você é racista sim. Você pode até ter uma preferência por esse ou por aquele biotipo, todos têm, mas quando você segrega um grupo em razão da sua cor de pele, isso te torna racista. E eu ouso dizer que essa sua aversão vem de uma construção simbólica que foi feita culturalmente sobre o biotipo negro. Negros não são bonitos, negros fedem, negros são bandidos, marginais, serviçais etc. Anteontem eu entrevistei o Michael B. Jordan. Negro, lindo, sexy. E pra ser bem sincero, eu duvido que se ele desse em cima de vc vc não pegava. E aí vc ia cair na real o quanto vc era racista, como eu caí na real sobre isso quando, depois de anos falando que não curtia japa, peguei dois quase que consecutivamente que me calaram a boca. Sim, seu “gosto” faz mal aos negros. Ou você gostaria de ouvir um negro dizendo pra vc no Grindr, olha, não curto brancos, nada contra, mas vc é branco demais pra mim. E infeliz é essa frase sua que abre meu comentário. Repito, melhore. Ou assuma que é racista and I rest my case.

Responder
Júnior

Meu gosto não fere ninguém, afinal eu não tenho uma fila de homens negros me desejando e eu estou aqui lindo e loiro dispensando cada um deles e deixando claro os motivos! Se você mudou sua opinião, que bom mas eu não sou obrigado! Racismo é tratar pessoas de diferentes etnias como menos, como segunda classe, e eu não faço isso, só não sinto tesão, e tesão meu caro, você não controla! Do mesmo jeito que a maioria dos gays odeia e despreza gordos, e eu como gordo que sou, deveria tentar fazer cada um deles me desejar, afinal estão me discriminando!!!!??? Eu não tenho Grindr, mas já falaram na minha cara que eu sou gordo demais para os padrões deles, então seu argumento de que sou o branco opressor cai por terra! Sua resposta não é sobre o que falei, que existe diferença entre você negar um fato incontestável baseado na sua opinião, e seus gostos pessoais, e para isso, não existe uma ciência exata que determine o certo ou o errado!
Esse ator Michael B. Jordan é sim lindo, sexy e muito charmoso, mas eu não sinto absolutamente nenhum tipo de tesão por ele, se fosse o Chris Hemsworth que na minha opinião é sinônimo de perfeição, a conversa seria outra! Entendeu a diferença? Você achou o ator negro tudo isso e eu concordo, mas não sinto o mesmo, isso é gosto! James, gosto dos seus textos, sua inteligência é algo admirável, mas seu problema é tentar ditar como cada um deveria viver sua vida, sua opinião, seus gostos são seus, qual a grande dificuldade que você tem em aceitar que cada um pensa de um jeito e que ninguém é obrigado a viver segundo a sua cartilha? Você me acha racista, e eu te acho quase um ditador extremista!

James Cimino

Você pode achar que eu sou um ditador, mas você não pode provar. Eu provei que você é racista usando o seu discurso. Existe uma diferença grande. Sobre gordos, outra estupidez. Tem gordos que me atraem, tem gordos que não. Não é a gordura que irá me impedir de ficar com um cara, mesmo pq tem muito gordo e muito efeminado que dá de mil em machões sarados. E eu não estou obrigando você a ficar com negros, logo seu papo de me chamar de ditador cai na mesma vala do seu “gosto”. Estou dizendo que o fato de você usar a cor a pele de alguém pra justificar seu gosto te torna racista, porque a sua justificativa é a raça. Ponto. Quanto à minha inteligência, obrigado pelo elogio. E é ela que permite que eu reavalie os meus preconceitos para me tornar uma pessoa diferente. Use-a como exemplo. E nem acho que você seja um branco opressor. Eu acho que você é apenas uma pessoa ignorante de si mesma. E, dica, ser loiro de olhos azuis não te faz belo, especialmente se você é o tipo de pessoa que tem a audácia de abrir a boca pra dizer essas coisas pra alguém. E entre o Chris Hemsworth, que é lindo, e o Michael B. Jordan, eu ficaria com quem fosse o mais sedutor, independente de cor. Agora, numa boa, loiro como modelo de perfeição é um conceito tão jeca, especialmente porque nos países onde eles são maioria, eles gostam negros, asiáticos e não se acham lindos. Além de racista, sua visão sobre beleza é um dos mais patéticos clichês da sociedade brasileira. Mas continuo esperando argumentos que vão além da palavra “gosto”. Eu já te dei uns dez.

Júnior

Bom, eu duvido que seu namorado seja negro, ou gordo, ou tenha alguma característica fora dos padrões! Sair com homens negros para transar é uma coisa, namorar e levar para dentro de casa não? Isso não seria racismo também? Então seria questão de sorte do destino que seu namorado se enquadre nos padrões ou é uma questão de gosto??????? Quando eu falei que sou lindo e loiro, estava sendo sarcástico, por que eu não sou isso! Agora o politicamente correto quer me obrigar a não achar um homem loiro lindo, é jeca, mas OK se eu achar um negro lindo? É errado eu achar pessoas parecidas comigo bonitas e meu ideal de beleza? James, quando você quer impor a sua opinião como uma verdade universal, e que só o que você pensa é certo, tudo a sua volta é errado, e quando você tenta enfiar isso na cabeças dos outros a força, isso é ser um ditador! Até aí você se pegou nesse ponto para me chamar de racista, mas não respondeu, você negar uma verdade incontestável baseado na sua opinião é uma coisa, agora onde a ciência prova que existe um certo ou errado para seus gostos e opiniões pessoais?
Quero deixar uma coisa bem clara, eu não sou um hater, eu não estou tentando te desmerecer, muito pelo contrário, estou expondo meu ponto de vista sobre o assunto, eu respeito a sua opinião mesmo sem concordar em alguns pontos e eu não te ataco de maneira nenhuma, e eu gostaria de ser tratado da mesma forma! Quanto ao gosto que você tanto critica, não tenho que justificar algo que só diferença na minha vida, simples assim!

James Cimino

Ah, olha, eu não vou expor meus namorados e casos pra provar um ponto aqui porque acho deselegante com eles. E eu nunca disse ser errado gostar de loiros, acho é cafona e clichê achar que loiros são ideal de beleza. Não são. Sou de Curitiba e tem uma polacada bem feia lá. Então, mais um “argumento” tolo de sua parte. E não se trata do que eu penso. Trata-se de análise de discurso, fia. Você fala igual ao Malafaia (essa doeu, né? Pois é.) E qual é a verdade incontestável? Posso saber? Que nenhum negro do mundo te atrai? Duvido. Mas como vc já disse que não vai mudar seu jeito de pensar, porque afinal de contas é mais importante manter o personagem, cagay. Não to te obrigando a nada. To apenas desconstruindo seu discurso racista. E eu também acho o Chris Hemsworth lindo, mas nem ele nem ninguém é modelo de nada pra mim, porque eu não tenho tipo. Não me limito a clichês. Agora dá licença que tem uma NY inteira de negros, loiros, ruivos e orientais pra eu ver e tenho que me preparar pro meu encontro com p Chris Hemsworth. Muac!

Júnior

Ou seja, tudo questão de gosto! Você tem o seu, e eu tenho o meu! Aproveite as férias! 🙂

Lucas

Mas ôh James, a Senhora é Destruidora mesmo hein, viado!!! Cliche essa frase eu sei, mas precisava escrever!!! hahahahaha Quando vc falou “me dá licença NY me espera” hahahahahaha Cai morto desmaiado… Sou muito seu fã!!! Bjo!!!