Musical sobre lésbica masculina é o grande vencedor do Tony Awards

“Fun Home” ganhou cinco troféus na noite de ontem, inclusive melhor musical. Peça é baseada na graphic novel autobiográfica de Alison Bechdel

por Marcio Caparica

O Tony Awards, a premiação do teatro norte-americano, aconteceu na noite de ontem. O grande ganhador da noite foi um musical que foge dos padrões, mas cuja qualidade excepcional já o colocava como favorito: Fun Home. Baseada na graphic novel autobiográfica de Alison Bechdel, a peça venceu nas categorias de Melhor Musical, Melhor Ator Principal em Musical, Melhor Diretor de Musical, Melhor Libreto e Melhor Composição Original.

Esta foi a primeira vez que um time composto apenas por mulheres – a compositora Jeanine Tesori e letrista Lisa Kron – ganhou o prêmio de melhor musical. Fun Home foi apresentado na premiação pelo ator Joel Grey (que se declarou homossexual ano passado, e fazia o papel do tio gay em Brothers & Sisters) como “um novo clássico americano”.

Alison Bechdel, autora da graphic novel Fun Home

Alison Bechdel, autora da graphic novel Fun Home

Alison Bechdel é uma quadrinista que ganhou fama nos EUA pelas tirinhas independentes “Dykes To Watch Out For” (“Caminhoneiras, preste atenção”, em tradução livre) e o teste para avaliar se um filme trata mulheres como seres minimamente humanos, o Teste Bechdel (o filme deve ter pelo menos duas personagens femininas com nome, elas devem conversar entre si, e o assunto deve ser algo que não seja homem. É impressionante como poucos filmes ganham nota boa nesse teste).

A graphic novel Fun Home é um livro de memórias em que Bechdel narra, de maneira não linear, a descoberta da própria homossexualidade, a descoberta da homossexualidade velada de seu pai, e a relação conflituosa entre os dois. O suicídio de seu pai, o próprio transtorno obsessivo-compulsivo, a masculinidade da autora (reprimida por seu pai) e os problemas que as relações clandestinas que seu pai tinha com alunos tornam essa HQ instigante e surpreendentemente literária. Fun Home já foi publicado em português pela editora Conrad, mas infelizmente se encontra fora de catálogo.

fun-home-livroNo musical, três atrizes interpretam Bechdel em fases distintas de sua vida: durante a infância (quando a autora percebe os comportamentos incomuns de seu pai mas não consegue interpretá-los adequadamente), durante a universidade (quando ela descobre sua própria sexualidade) e já na vida madura, como narradora. Como escreveu Ali Osworth para o site Autostraddle, “Fun Home, além de ter duas personagens femininas com nome que falam sobre algo que não seja homem, tem uma mulher tão dinâmica e multifacetada que se fazem necessárias três atrizes para interpretá-la.”

Confira abaixo a performance da canção “Ring of Keys” durante a cerimônia do Tony. Nessa canção, a jovem Allison Bechdel vê entrar no restaurante em que se encontra com seu pai uma lésbica caminhoneira (com um molho de chaves pendurado na cintura, daí o nome da canção), percebe a beleza na figura dessa mulher e reconhece na masculinidade dela as sementes da própria homossexualidade.

A cerimônia do Tony foi apresentada por  Kristen Chenoweth e Alan Cumming, que não resistiram a brincar com a sexualidade do galã Bradley Cooper em certa altura do espetáculo. “Eu estou tão feliz por apresentar o primeiro convidado da noite, porque eu já dormi com ele!”, exclamou Chenoweth. “Você também?”, respondeu Cumming. “Não, eu só queria espalhar os rumores…”, ela finaliza.

Apoie o Lado Bi!

Este é um site independente, e contribuições como a sua tornam nossa existência possível!

Doação única

Doação mensal:

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário

Esdras Passos

Márcio, só queria fazer apenas uma correçãozinha. O tio gay de Brothers & Sisters é interpretado por outro ator, Ron Rifkin. O Joel Grey fez uma participação especial.

Responder