Universidade Harvard oferece workshop para ensinar tudo sobre sexo anal

Universidade Harvard oferece workshop para ensinar tudo sobre sexo anal

Ministrado por sexólogos de um sex shop de Massachusetts, o evento faz parte da Sex Week, que já ocorre há 3 anos na instituição

por James Cimino

O sexo anal virou assunto acadêmico. Nesta semana, a universidade Harvard ofereceu um workshop sobre o assunto em sua anual Semana do Sexo (Sex Week) com o objetivo de ajudar os estudantes universitários a praticar sexo anal de forma saudável e prazerosa.

A oficina foi apresentada pela Good Vibrations, um sex shop localizado em Brookline, Massachusetts. A sexóloga Carol Rainha, que trabalha na Good Vibrations, e que ministrou o workshop, falou ao Huffington Post sobre o conteúdo programático da “disciplina”:

“Trabalhamos na Sex Week de Harvard no passado e ficamos muito felizes de saber que os estudantes de Harvard que organizaram a programação deste ano queriam discutir o sexo anal, pois este é um tema sexual que desperta a curiosidade de muita gente, mas que deve ser contratado com um nível de conhecimento que existe em poucas aulas de educação sexual. Fazê-lo errado, como tantas outras pessoas, pode levar a grandes problemas: desde dor e desconforto a infecções sexualmente transmissíveis. Sexo anal não é do agrado de todos, mas é muito mais comum do que muitas pessoas imaginam. Nós queremos que as pessoas saibam o suficiente sobre o sexo anal para poderem experimentar e, caso tentem fazer isso, nós queremos que eles tenham informações para fazerem de forma segura e saudável.”

A “Sex Week” de Harvard é uma semana anual de programação interdisciplinar “a fim de promover uma compreensão holística do sexo e da sexualidade.” Este é o terceiro ano consecutivo em que Harvard está hospedando o evento.

Mas de acordo com o Huffington Post, nem todo mundo curtiu a ideia. Molly Wharton, uma estudante de Harvard, disse à publicação que “depois de olhar para o calendário de eventos, eu questiono a quantidade de tempo e recursos que foram dispostos para o planejamento e o financiamento destes eventos, alguns dos quais são absolutamente vulgares, especialmente em um lugar como a Harvard… Eu não posso deixar de imaginar que esses recursos poderiam valer mais a pena se investidos em programas educacionais.”

A Molly é daquelas que acha que sexo não deve ser ensinado, porque, afinal de contas, tudo o que é legal é dá prazer deve ficar de fora escola e da academia. Ainda bem que nem todo mundo concorda com ela.

Além deste workshop, a programação da Sex Week de Harvard discute questões de gênero, fetiche, o sexo na indústria do entretenimento, entre outros tópicos. A programação completa está aqui.

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário