Conheça outras 20 bandeiras dos movimentos LGBT além do arco-íris

Conheça outras 20 bandeiras dos movimentos LGBT além do arco-íris

Conheça o significado e a história das bandeiras que representam a cultura de lésbicas, gays, transgêneros e bissexuais ao redor do mundo

por Marcio Caparica

Qual é o primeiro símbolo que vem à mente quando se pensa em gays? A bandeira do arco-íris, claro. O recall é imediato. Os gays já se apropriaram do arco-íris de seis cores de tal maneira que há até movimentos religiosos que se dedicam a resgatar o arco-íris dos gays (“o arco-íris é símbolo da aliança de Deus!”). Se os pastores fundamentalistas começarem a insistir nisso aqui no Brasil, vocês já sabem de onde veio a ideia.

Há, no entanto, muitas outras bandeiras e símbolos criados para representar o orgulho de se pertencer às inúmeras subculturas da comunidade LGBT. Nem todas são amplamente utilizadas aqui no Brasil ainda, mas achamos por bem espalhar esses símbolos – orgulho da própria identidade nunca é demais. Vamos apenas frisar, também, que por mais subculturas que os LGBTs tenham, nós devemos sempre nos unir a favor dos direitos iguais para todos. Confira abaixo o significado e a história dos principais símbolos LGBT. Deixamos algum de fora? Avise a gente nos comentários!

Bandeira do arco-íris

320px-Gay_flag.svg A primeira bandeira do arco-íris foi desenhada por Gilbert Baker, em San Francisco, em 1978. Ele dispôs originalmente oito faixas, com o seguinte significado: rosa para a sexualidade, vermelho para a vida, laranja para a saúde, amarelo para o sol, verde para a natureza, azul para a arte, índigo para a harmonia e violeta para o espírito. Em 1978 a bandeira foi adotada para a Gay and Lesbian Freedom Day March, sendo em seguida adotada pelo Pride Parade Committee depois do assassinato de Harvey Milk, o primeiro oficial eleito abertamente gay da Califórnia. A bandeira teve seu número de cores reduzido a sete porque a tintura rosa-choque não estava disponível comercialmente para a fabricação das bandeiras, e o Pride Committee tirou o índigo do desenho para que fosse mais fácil dividir a parada em faixas iguais ao longo da rua – três cores numa metade, três na outra. Atualmente, a versão com seis cores é reconhecida ao redor do globo.

 Símbolos de orgulho gay

  • 276px-Male_homosexuality_symbol.svgSignos de homem entrelaçados: o símbolo do círculo com uma seta diagonal apontando para o alto e para a direita é o símbolo astrológico do planeta Marte, e também representa o sexo masculino. Ele remete ao escudo e a lança do deus greco-romano da guerra. A união de dois desses sinais representa os homens gays desde a década de 1970.
  • 270px-Pink_triangle.svgTriângulo cor-de-rosa: o triângulo cor-de-rosa foi inicialmente utilizado como um brasão nos campos de concentração nazistas para identificar homens homossexuais durante a Segunda Guerra Mundial. Estima-se que entre 5 e 15 mil homens gays foram encarcerados nos campos de concentração; não se sabe exatamente quantos deles morreram, mas o estudioso Ruediger Lautmann acredita que as cifras podem chegar a 60% dos detentos. Atualmente, no entanto, esse signo foi reapropriado como um símbolo do orgulho e da luta contra a opressão. Depois que a AIDS Coalition to Unleash Power (ACT-UP / Coalizão da AIDS para Desencadear a Força) foi fundada em 1987, ela passou a utilizar um triângulo rosa invertido como seu logotipo.
  • 320px-Leather,_Latex,_and_BDSM_pride.svgBandeira do orgulho leather: Tony DeBlase apresentou o design para essa bandeira em 1989, durante a competição para Mr. Leather em Chicago. Ela celebra a subcultura que aprecia práticas e formas de se vestir para atividades sexuais que utilizam principalmente o couro. “A bandeira é composta de nove faixas horizontais de mesma largura. A partir do topo e da parte de baixo, as faixas se alternam nas cores preta e azul royal. A faixa central é branca. No quadrante superior esquerdo da bandeira está um grande coração vermelho. Deixo por conta de quem observa a bandeira interpretar as cores e os símbolos”, disse DeBlase.
  • 320px-Bear_Brotherhood_flag.svgBandeira Internacional da Irmandade de Ursos: “urso” é uma gíria carinhosa para homens fortes que muitas vezes exibem pêlos pelo corpo e tendem a serem grandes (apesar disso não ser uma exigência). Craig Byrnes apresentou essa bandeira em 1996 para celebrar essa subcultura. As cores representam as cores de pêlo e nacionalidades de ursos do mundo todo.

Símbolos de orgulho lésbico

  • 217px-Female_homosexuality_symbol.svgSignos de mulher entrelaçados: O círculo com uma cruz colada a sua parte inferior é o símbolo astrológico do planeta Vênus e também representa o sexo femino. Ele remete ao espelho da deusa greco-romana do amor e da beleza. A união de dois desses signos lado a lado vem sendo usada para representar a comunidade lésbica desde a década de 1970. Esse símbolo também já foi utilizado para representar o feminismo e a irmandade de todas as mulheres, então três signos de Vênus também podem ser utilizados para representar especificamente o orgulho feminista.
  • 270px-Black_triangle.svgTriângulo preto: O Parágrafo 175 do estatuto alemão que criminalizava os atos sexuais entre dois homens não citava lésbicas, mas o triângulo preto denotava “mulheres associais” nos campos de concentração. Isso incluía feministas, lésbicas, prostitutas e mulheres que se negavam a gerar filhos. Assim como o triângulo cor-de-rosa dos homens, o triângulo negro tornou-se um símbolo de orgulho e solidariedade entre as lésbicas.
  • 197px-Labrys-symbol.svgLabrys: O machado de duas lâminas, também chamado de labrys, está associado com sociedades matriarcais ancestrais, às amazonas e à deusa grega Deméter. Hoje em dia ele é um símbolo da força e da independência das lésbicas.

Símbolos de orgulho bissexual

  • Bi_triangles.svgTriângulos da bissexualidade: Não se conhece a origem desses dois triângulos interligados, um azul e rosa, às vezes chamados de “biângulos”. Há algumas hipóteses de que o triângulo rosa representa a atração por mulheres e que o azul representa a atração por homens, ou que o rosa representa a homossexualidade, o azul a heterossexualidade, e o roxo a bissexualidade.
  • 320px-Bi_flag.svgBandeira do orgulho bissexual: Inspirado por seu trabalho voluntário no grupo BiNet USA, Michael Page criou a bandeira do orgulho bissexual em 1998 para representar os bissexuais nas paradas de orgulho. Emprestando as cores dos biângulos, Page criou a bandeira de maneira que ela fosse 40% rosa, 40% azul e 20% roxa. “A chave para compreender o simbolismo da bandeira do orgulho bi é saber que a faixa roxa cria uma transição suave entre as faixas rosa e azul, assim como no ‘mundo real’ os bissexuais se misturam suavemente tanto com as comunidades gays e lésbicas como com as comunidades heterossexuais”, escreveu Page.
  • 204px-Bisexual-moon-symbol.svgLuas crescentes da bissexualidade: O símbolo das duas luas foi criado para evitar utilizar os triângulos dos campos de concentração nazistas.
  • bientrelacadosSímbolos de homem e mulher entrelaçados: Estes símbolos representam homens atraídos por homens e mulheres (esquerda) e mulheres atraídas por homens e mulheres (direita).

Símbolos de orgulho transgênero

  •   320px-Transgender_Pride_flag.svgBandeira do orgulho transgênero: A bandeira do orgulho transgênero foi criada em 1999 por Monica Helms, e foi hasteada pela primeira vez numa parada do orgulho LGBT em Phoenix, Arizona em 2000. As faixas azul claro representam a cor tradicional dos bebês homens, e as faixas em rosa claro representam a cor tradicional para bebês mulheres. As faixas brancas representam aqueles que são intersex, estão em transição ou que se identificam com o gênero neutro ou não têm gênero definido. “O padrão foi criado de forma que, não importa que maneira essa bandeira seja hasteada, ela sempre está correta, o que representa o processo de como nós encontramos a maneira correta de vivermos nossas vidas”, Helms declarou ao Huffington Post.
  • 206px-A_TransGender-Symbol_Plain3.svgSímbolo transgênero, versão 1: Esse signo combina e modifica os elementos dos signos de homens e de mulheres, com um uma seta que é a combinação dos dois colocado no alto, à esquerda. Denise Leclair, a diretora executiva da Fundação Internacional pela Educação de Gênero (IFGE), conta que o símbolo foi criado por Nancy Nangeroni, Holly Boswell e Wendy Pierce para a IFGE.
  • transgender2Símbolo transgênero, versão 2: Essa versão do símbolo dos transgêneros inclui uma tarja diagonal no centro, para incluir aqueles que não se identificam nem como homem nem como mulher.
  • mercurioSímbolo astrológico de Mercúrio: A comunidade transgênero adotou esse símbolo por seu significado hermafrodita.

Lambda

Lambda-letter-lowercase-symbol.svgO lambda é a 11a. letra do alfabeto grego. Essa letra em minúscula simboliza a comunidade LGBT desde 1970, quando a Gay Activist Alliance a escolheu para representar o movimento pelos direitos gays. Há quem acredite que o “l” seja a inicial de “liberação”, enquanto outros argumentam que ele foi escolhido por causa do símbolo para “energia” na Física.

Bandeira do orgulho intersex

Intersex_flag.svg“Intersex” é o termo utilizado para designar indivíduos com diferenças congênitas nas características sexuais físicas – o que antigamente era chamado de “hermafrodita”. A Organização Internacional Intersex na Austrália, uma filial dessa rede global de organizações intersex, criou a bandeira do orgulho intersex em julho de 2013. O fundo amarelo e o círculo roxo representam as cores “hermafroditas”. Segundo o website da organização:

O círculo não tem quebras ou ornamentos, representando a inteireza e a completude, e nossas potencialidades. Nós ainda lutamos por autonomia corporal e integridade genital, e isso simboliza o direito de sermos quem e como nós quisermos.

Bandeira do orgulho genderqueer e não-binário

Genderqueer_pride_flag“Genderqueer” é um termo utilizado para representar mais uma identidade do que uma característica biológica, ou seja, pessoas genderqueer não se identificam com as expectativas da sociedade quanto a sexo, expressão de gênero e sexualidade.

Marilyn Roxie criou a bandeira do orgulho genderqueer em setembro de 2010, chegando ao design definitivo em junho de 2012. Como diz em seu blog, a faixa lavanda representa pessoas andróginas e a androginia, a faixa branca representa a neutralidade de gênero, e o verde representa identidades que se definem para além ou sem qualquer referência ao sistema binário de gênero (homem e mulher).

Bandeira do orgulho assexual

320px-Asexual_flag.svgEm 2010, a Asexual Visibility and Education Network (AVEN – Rede de Educação e Visibilidade Assexual) fez um convite para que os membros de sua comunidade criassem uma bandeira para as pessoas assexuais (indivíduos que não sentem qualquer tipo de atração sexual). A vencedora foi essa representada ao lado. A faixa negra representa a assexualidade, a cinza representa a área entre ser sexual e assexual, a faixa branca representa o desejo sexual, e a faixa roxa representa a comunidade. Pessoas assexuais também às vezes se identificam por meio do ás de espadas e do ás de copas (“ás” é uma gíria carinhosa para uma pessoa assexual).

Bandeira do orgulho pansexual

Pansexuality_flag.svgTambém conhecida como onissexualidade, a pansexualidade é a atração por pessoas de todas as identidades de gênero e sexos biológicos. A bandeira do orgulho pansexual foi criada para que ela se distinguisse da bissexualidade. A faixa azul representa a atração por homens, a faixa rosa representa a atração por mulheres, e o amarelo representa a atração por pessoas que se identificam como sem gênero, de ambos os gêneros ou de um terceiro gênero.

Fontes: Wikipedia, Mashable e Clare Bayley

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 comentários

Kikka.da.Silva@Gmail.com

Mui todos estao de parabéns bandeiras eum nunca tinha lido sobre isso e gostei muito de saber o significado das bandeiras.

Reply
Edson Silva de Gouvea

Gostei muito de aprender sobre as cores e simbolos dos LGBTs,só senti falta de ver as fotos das bandeiras.Abraços.

Reply