O que não fazer se você é um soropositivo em busca de namorado

O que não fazer se você é um soropositivo em busca de namorado

Gays HIV+ podem entrar em desespero amoroso por medo da rejeição, e tratarem pretendentes como dádivas. Essa não é a fórmula do sucesso

por Marcio Caparica

Traduzido do post de Tyler Curry para o Huffington Post

Ah, como o mundo seria diferente se nós todos soubéssemos como navegar o campo de batalha traiçoeiro e trapaceiro que são os relacionamentos gays. Nós temos não apenas que encarar os mesmos dissabores e perigos que os soldados solteiros heterossexuais, mas nós também temos que enfrentar a fria realidade de uma população em que o número de pretendentes em potencial é bem mais reduzido, em que ex-namorados que acabam namorando outros ex-namorados e que tem uma expectativa irreal de como você deve ser sem camisa. Nós tentamos nos armar o melhor possível, porque não importa quantos corações partidos a gente já tenha enterrado, a batalha do amor deve prosseguir. Há no entanto uma maneira infalível de transformar toda e qualquer pretensão de romance futuro num banho de sangue, não importa quão forte a conexão entre vocês dois pareça, e ela é ser soropositivo e estar desesperado para namorar.

Uma coisa é admitir que você está aberto para encontrar o amor. Outra bem diferente é ficar se perguntando o tempo todo por que é que você está sem namorado. Antes de encontrar o homem certo com quem preparar uma comidinha e assistir junto comédias românticas num domingo de chuva, você precisa primeiro perceber que você está melhor sozinho do que aprisionado com o Príncipe Equivocado… Ou o Príncipe É O que Tem.

Claro, gays muito carentes de amor podem vir com qualquer status sorológico, mas um homem soropositivo é um tipo especial de desesperado. Esses caras muitas vezes chegam num primeiro encontro carregando a esperança de que esse parceiro em potencial será capaz de ignorar seu status positivo e dar-lhes uma oportunidade. Quando isso acontece, é como se o pretendente tivesse feito um favor para eles e instantaneamente eles sobem um ou dois estágios na escala Juju Carente. De repente surge toda uma pressão para que esse ficante se torne um namorado, sem considerar-se os interesses pessoais ou a compatibilidade.

É assim que um homem soropositivo desesperado fala:

“Por que é que eu não consigo arranjar um namorado? Todos os caras com quem eu começo a conversar no Grindr param de falar comigo quando eu revelo meu status sorológico.”

“Eu não sei o que aconteceu. Quando eu contei para ele que era soropositivo, ele parecia ok, mas depois ele nunca mais ligou.”

E até mesmo…

“Eu não gosto de revelar meu status até o terceiro ou quarto encontro. Eu quero ele consiga me conhecer antes de eu contar que eu sou positivo.”

Se o boy com quem você vai sair estivesse à busca de amor incondicional e inquestionável, ele adotaria um cachorrinho. E se você pretende armar uma arapuca para que ele nem perceba que você tem o vírus usando seu super senso de humor ou os interesses por arte contemporânea dos dois, você está apenas preparando o terreno para mais um porre de vodca com valium e sorvete. Seu status não é algo indiferente para quem se envolve com você, por mais que você deseje isso. Tratá-lo como tal demonstra insegurança, e não é nada atraente, não importa a opinião da pessoa sobre seu status.

Confronte o seu estigma interno a respeito do HIV antes do seu próximo encontro, porque o cara fodão que existe aí dentro merece mais que as desculpas do seu covarde exterior a respeito de algo que você não tem como mudar. HIV não é uma falha de caráter, é uma realidade que alguém compreende ou não. Torcer e rezar para que alguém deixe essa realidade passar batido é uma manobra desesperada, especialmente quando você sequer sabe o status do parceiro.

A verdade é que nós todos temos questões com que o nosso futuro amor vai ter que lidar quando um relacionamento em potencial começa a tomar forma. Você precisa lidar bem com as suas próprias questões antes de tentar conhecer e lidar com as alheias. Isso é universal para todos os homens gays, mas um soropositivo deveria ter como princípio que ele tem que ser visto em pé de igualdade com o outro, e não um abençoado por encontrar alguém que o aceita apesar de sua sorologia.

Não importa o quão maravilhoso o encontro desse sábado promete ser, você deveria sair já com a premissa de que se ele não acha que você é tudo, então não há porque você dar a ele seu coração, ou sequer sua bunda – muito menos levá-lo para conhecer sua mãe. O que você resolver fazer por essa noite não é da conta de mais ninguém, só sua; apenas não se preocupe se ele vai ligar ou não depois. São só mais sete dias até o próximo final de semana.

Ser soropositivo não é mais algo tão digno de nota na comunidade gay. Substitua sua sorologia por qualquer outra característica ou peculiaridade que desperte insegurança numa pessoa, e o terreno fica igual para todos. Se você leva a sério sua busca do seu “mais um” permanente, abandone o desespero e cultive sua confiança. Pode parecer que isso é algo mais fácil de se dizer que de se fazer, mas é tudo uma questão de se lembrar que sua mercadoria vale cada centavo do preço da etiqueta, e você não tem que dar descontos para ninguém.

Nota do tradutor: Nem o autor nem nós do LADO BI achamos que você tem que revelar seu status para qualquer ficante/trepada/grupo com que você se envolver. Praticando sexo seguro, você pode compartilhar essa informação quando sentir a necessidade. A intenção do texto é apontar que não há como tentar construir um relacionamento sério sem tratar dessa questão cedo. Por questões culturais, os gringos tendem a fazer uma distinção muito maior entre encontros com “pretensão de futuro” (dates) e encontros de putaria/ficadas (hook ups), algo que não existe tão rigidamente na cultura brasileira. O texto original é todo sobre “dates”.

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

31 comentários

Antonio

Nos valorizar, independente de nossa peculiaridade.
Aliás, alguém conhece algum site de namoro gay positivo?
Grato

Reply
Dgl

Meu namoro de 4 anos esfriou e terminou quando revelei a soropositividade! Tentei informar sobre explicar que era intransmissível frente minha condição indetectável por causa da eficácia da medicação e poderíamos ter uma vida normal sem medos ou estigmas, mas estes falaram mais alto!

Reply
João

Adorei o manejo do texto e me identifiquei com várias falas expostas nas entrelinhas! compreendo que a honestidade é o norte primordial para a conquista de alguém que poderá dar certo, porém como saber se é para dar certo com a pessoa x e como saber a reação dela em relação ao estigma do meu diagnóstico? enfim embora eu use teste de abordagem colocação e esclarecimento sobre o assunto, ainda assim o tabu que a mídia, os ignorantes e os intolerantes consolidou prevalece e a rejeição é obvia, fria, e desumana! jah tentei de tudo e apliquei várias formas de agir em diferentes encontros e com pessoas diversas, e cheguei a conclusão de que não existe uma técnica que dará certo, pessoas são diferentes e cada cabeça propaga a singularidade de cada individuo. se o certo é arriscar, não sei. Parece ser muito fácil, mas continuamente através de discussões em grupo de faculdade ou ate mesmo com amigos íntimos, vejo que há uma reação repugnante ! O meu coração dói porque só tenho 20 anos e vejo um futuro promissor e sem muitas expectativas em relação ao relacionamento, pois os sites que envolve pessoas com sorologia positiva ou aplicativo gay ,a maioria transcende perfis de pessoas promíscuas e sem interesse afetivo, todos em busca do sexo e somente isso. não sou santo e nem quero julgar, mas todos os sites que entro em busca de conforto e prontidão pra me abrir , fazer amizade ou encontrar um namorado, só me trás insegurança e debilita mais ainda minha sensibilidade ao “Amor”.

Reply
Nando Souza

É inacreditável como a sociedade avança em questões tecnológicas, culturais, religiosas até, mas quando se trata de comportamento, o preconceito fica, muitas vezes, evidenciado. Em pleno século XXI e se está aqui discutindo temas como relacionamentos sorodiscordantes, homofobia, transexualidade etc. Em todo o mundo ainda há tanta miséria, fome, violência e ainda se encontra indivíduos que estão preocupados com a sorologia alheia, com a forma de amar de cada um. Enfim, faça como bem lhe aprouver, amigos. Se quiser contar sobre sua condição de imediato, sem saber se aquilo não vai ser mais que uma transa, faça-o, mas consciente de que está se expondo para alguém que talvez não tenha importância alguma em sua vida. O importante é que você esteja feliz e de bem com a vida. A não aceitação do outro…é problema dele. Com certeza, em algum momento, você vai encontrar alguém perfeito pra você, que se encaixe dentro de suas expectativas – se não forem muito ambiciosas.
Abraços a todos.

Reply
Sérgio

Discordo totalmente desse papo de que se for só pra ficar, não precisa falar – é o contrário, é exatamente sobre a ficada é que precisa falar, pois nos DATES, pode não haver contato físico nenhum, já no HOOK UPS, muito provavelmente vai rolar algo mais – ALIÁS, ISSO NÃO ESTÁ NA LEI DO BRASIL? Desculpe-me a ignorância, mas eu pensei que fosse lei! Sei que não se trata de carimbadores, mas acho que a pessoa tem o direito de saber que está saindo com alguém HIV+ – detalhe: isso tem que ser dido antes da transa, tá? Sei que não é fácil, mas mesmo assim, tem que ser dito… e boa sorte! Ser honesto é a melhor coisa que tem, facilita a vida e evita sofrimento!

Reply
Eu

Meu caro! Cabe a cada um de nós nos precaver ou vc ficará contando com a boa fé das pessoas em revelar algo tão impactante e estigmatizado quanto sua sorologia! Será que vc faria o mesmo. Ps só responda se for soropositivo. Algumas vezes e nesssessario percorrer o caminho para depois opinar. Tal qual eu não posso falar como e ser uma mulher e menstuar e se preocupar com questões inerentes ao sexo. Feminino . No.maximo posso imaginar. No seu caso posso dizer. Porque já estive no seu lugar vc esteve no meu?

Reply
Fernanda lucia

Também concordo completamente com você sou HIV a 15 anos evito sair por falo sempre a verdade sou de Pernambuco Olinda

Reply
Marcos Antonio

Gostei muito do texto. descobri que sou soropositivo a 17 dias. ainda to no momento aceitação. pensei que minha reação seria bem pior. até fiquei surpreso com meu controle emocional.
To pesquisando tudo pra viver da melhor forma possível esse novo momento da minha vida., O texto me Alertou em muitos pontos.
To levando minha vida o mais normal possível.
No momento não quero me envolver afetivamente pois como já falei primeiro tenho que aceitar.
Mas quando tiver conhecendo alguém acredito que não terei problema algum em torna-lo ciente de minha sorologia.
A leitura do texto foi de grande importância pra mim.

Reply
Marcos

Força p você Marcos!
Procure ajuda médica, tome os remédios regularmente e tenha uma boa alimentação.
Tudo isso contribuirá para sua vida.

Abraços

Reply
Ed

Descobri que sou soropositivo há exato 1 mês :'( Me espantei porque nunca passava pela minha cabeça. Essa semana começo a tomar o medicamento…pro resto da minha vida.

Sinceramente, não tenho medo de enfrentar preconceito ou rejeição. Pode doer em alguns momentos, mas sempre saberei com orgulho quem eu sou, a pessoa que sou e o meu valor.

Reply
Ângelo Antônio de Almeida Bueno

Gostei do texto e infelizmente me identifique muito com o desespero..kkk mas ainda estou muito confuso se realmente suportaria uma relação duradoura, mesmo assim gostaria de tentar, sinto muita falta de carinho no dia a dia, sei lá, tipo passear, fazer compras, cinema, só sexo é muito pouco e deprimente

Reply
Maurício

Desconfio que sou soro positivo e estou entrando em um relacionamento agora, estou com medo de falar isso pro boy, o q eu faço?

Reply
Luiz

O Sistema Público de Saúde tem teste rápido, este teste detecta 2 tipos de hepatites, sífilis e HIV, é rápido e de grátis. Apesar do temor de descobrir que és soropositivo, penso que devas fazer este teste, quanto antes detectares, antes iniciarás o tratamento. Quanto ao fato de iniciar um relacionamento é interessante falar a verdade, vai que tens o vírus e passa para seu novo parceiro que não tenha. Tem gente que não está nem ai para esta hipótese, não sou advogado e nem entendo muito de leis, porém, deve haver algum tipo de responsabilização pela inconsequência de quem age desta forma. Para seu bem e para o bem do(s) seu(s) futuro(s) parceiro(s) é bom que saibas como está sua saúde.

Reply
andre

namorei um soropositivo e ele fez tudo que o texto falou que noa deveria fazer , so revelou pra mim que tinha hiv quando viu que eu estava apaixonado por ele , me senti traído e caído numa arapuca ,não tinha ideia do quanto ele estava desesperado pra encontrar um namorado , nossa relacao durou 9 meses , pois éramos mega incompativeis .

Reply
Bruno Recife

Nossa cara….gostei muito do texto
Eu sou soropositivo a dois anos, tenho 29 anos e estou muito bem, trabalho e estudo..adoro esta na academia…sou um cara bonito.
Tenho muita dificuldade de encontra algum para namorar por conta da minha sorologia, estou solteiro a quase 3 anos.
E fico meio triste por ter esse medo de me expor pra qualquer um.

Reply
Rafael

Bom, vc não está sozinho nessa… Talvez esse medo de se expor seja uma grande pedra no nosso caminho.

Reply
Carlos Alberto

Olha Fael eu já sofri bastante por conta disso. Fui demitido depois que meus patrões souberam e isso me deixou muito triste. Mas hoje já me sinto melhor e não quero viver o resto da minha vida só sabe? Perdi minha mãe com 20 anos e depois aos 21 descobrir por volta própria que tinha Hiv quase que eu me mato mas superei.

Reply
kalynelu

Eu procuro um amor que seja bom pra mim….amor É VC aceitar a pessoa como ela É soropositivo sim porque sim.

Reply
Maurício

Bola pra frente cara, se possível procure um cara q seja soro positivo tbm, será bem mais fácil para os dois.

Reply
Henry

Me inidentifico com o texto é sofro também , já estou negativado me trato muito bem mas recentemente passei por uma situação nada boa quando numa pregação conheci um rapaz de 20anos , eu tenho 40 . Ele estudante de enfermagem , imigrante do Nordeste , gay assumido , nós pegamos na estação do metrô , acabei convidando ele pra irmos até meu ap , como sou magro de natureza , nada tem haver com a doença . quando começamos a nos pegar e ele me viu sem roupas começou a fazer perguntas sobre minha sorologia . Não rolou , ele foi embora e eu fiquei triste , com a ignorância de um estudante de medicina ,e este tipo de experiência vai me fazendo evitar e até sabotar possíveis relacionamentos , sigo em frente , tentando e conseguindo não absorver tamanha ignorância e preconceito .

Reply
Miguel

Mesmo se houvesse na cultura brasileira a distinção entre “date” e “hook up” ainda seria complicado. Muitos “hook ups” tendem a se tornar relacionamentos. No meu caso, num segundo encontro o cara já estava super afim de algo mais sério quando um amigo dele denunciou minha sorologia. A ignorância do rapaz me pegou de surpresa, pois ele demonstrou não saber NADA sobre HIV/AIDS, o que me trouxe um enorme trauma. Isto já fazem 5 meses e ainda estou travado, enclausurado e sem a menor vontade de conhecer alguém sorodiscordante graças ao transtorno que aquela situação me trouxe – fui crucificado, tive que dar aula sobre o tema, tive que levá-lo ao meu médico, indicar local de teste e pasmem, dividir meus remédios como profilaxia e aguentar mensagens do tipo “não estou aguentando estes remédios”, “eu vou morreeeer”. P. S.: O sexo foi seguro.

Reply
Tadeu Junior

Gostei do texto, temos nosso valor…, lutamos dia a dia prá nos tornamos integrantes de peso na sociedade…, com nosso trabalho, nossas boas ações e nossa liberdade para discernir o que é certo ou errado. Busco conhecer pessoas positivas apenas, em sites específicos…Mas o triste é que muitos não amadureceram com a experiência traumática, não mudaram seus valores, nem melhores escolhas para suas vidas… Mesmo que a cura surgisse hoje…, qtos se recontaminariam por viver os prazeres momentâneos, ao invés de compartilhar momentos, emoções e obejtivos…, sendo o sexo apenas complemento de uma relação saudável! Enfim, a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória…

Reply
Wagner Monteiro

Texto incrível.
Parabéns pela feliz colocação.

Reply
Eduardo

O texto traz uma ideia, um feixe de reflexão tão fundamental… Entendo que embora o texto seja específico em um certo ponto (ser soropositivo), a questão da autoestima e o self resoluto pode ser traçada em paralelo com qualquer outra realidade, como afirmado no texto. Se enganam aqueles que imaginam ser o relacionamento a solução da sua tristeza e de seus problemas. Se envolver é mudar constantemente, é aceitar limitações do parceiro, é ajudá-lo a crescer… É se desenvolver mutuamente. E não é um mar de rosas. Por mais que eu já esteja em um relacionamento de 4 anos, sinto que há tanto para se aprender, compreender.
Todos devemos ter forças e enfrentar tais dificuldades, e não, não posso imaginar como é ser soropositivo. Assim como cada existência é tão singular e ninguém pode realmente compreender ninguém. Mas é justamente “o vencer” que todos procuramos, e acredito que também o “próprio vencedor”.
Como já dizia meu amado, “em um mercado de problemas tão gratuito, porque escolher outro?” Então que “o outro” nos adicione, nos traga e não o contrário. Como isso é possível? Enfrentando-se.

Reply
Tadeu

Tradução muito boa do texto original!!! E a referencia a Juju carente foi otima!!! ahahahahahha

Reply
Cleber

Excelente texto e muito esclarecedor. Claro que ser soropositivo pesa, mas dependendo do ponto de vista, pode até ser bom pois ajuda a afastar mau caráter que só quer iludir e depois meter o pé na bunda. Serve como uma pré seleção automática onde só passam os que realmente se interessam e querem algo de verdade com você. Além do mais acho que esse negócio de Amor Verdadeiro, História de Amor, Felizes Para Sempre, tá mais para uma utopia para todo mundo independente de qualquer coisa. Vejo alguns casais por ai que até parece algo bonito, mas ao olhar mais de perto vejo que passa longe de ser o tipo de relacionamento que eu gostaria de ter. Cheguei a conclusão de que devemos viver intensamente a vida mesmo sem o tal grande amor do lado, se ele for aparecer deverá ser apenas consequência porque quanto mais se desespera a procura do cara certo, mais distante ele parece ficar.

Reply
david

Cléber, gostei da sua opinião…
Tem facebook para compartilhar?

abraços

Reply