Suécia abre o primeiro abrigo para gays da terceira idade

Suécia abre o primeiro abrigo para gays da terceira idade

Casa já recebeu 40 pessoas e tem mais associados de 30 anos que estão na fila por uma vaga no futuro

por James Cimino

No último dia 22, a Suécia deu mais uma mostra de que é um país humanitário. Ele abriraram a casa “Regnbågen” (Arco-Íris), uma casa de repouso e abrigo para homossexuais da terceira idade situada no bairro de Gärdet, em Estocolmo.

A “Regnbågen” é uma associação cooperativa para pessoas acima de 55 anos que oferece 27 apartamentos nos últimos três andares de um edifício da capital sueca.

Até o momento, 40 homens e mulheres já se mudaram para o local, mas ainda há uma fila de pessoas esperando por uma vaga, já que a associação possui 90 membros.

Segundo o site “The Local“, que divulga notícias da Suécia em inglês, o morador e vice-presidente da associação, Lars Mononen (foto), 64, conta o seguinte: “Alguns dos nossos membros são pessoas jovenas, na casa dos 30 anos, que estão planejando seu futuro entrando na fila agora.”

Mononen explicou que o Regnbågen é um lugar para os membros da comunidade LGBT se sentirem confortáveis em seus últimos anos de vida. “Não temos filhos, em geral, e frequentemente não somos próximos de nossas famílias. Quando você para de trabalhar, perde um pouco a interação social. O local te dá um pouco mais de sgurança social e faz com que você interaja mais na comunidade.”

Christer Fällman, presidente da “Regnbågen” que começou a batalhar pelo projeto em 2009, disse que a casa, que deverá atender primeiramente ao público LGBT, estará aberta a qualquer pessoa de qualquer orientação sexual.

“Não queremos que isso seja um retorno ao armário. Qualquer um será autorizado a viver lá. Será outra forma de integração”, disse Fällman, que pretende que o serviço se amplie pelo país todo. “Eu sei que estão querendo fazer algo similar em Gotemburgo”, ele disse.

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários

m vilma reis

como visita-los sendo brasileira, passando uns dias como voluntaria.aguardo resposta obrigada

Reply
James Cimino

Poxa, Vilma, não sei mesmo. Talvez fosse legal você procurar no Google pelo nome do abrigo. 🙂

Reply