A lição do macarrão: comece pelo bolso

A lição do macarrão: comece pelo bolso

Guido Barilla grava vídeo pedindo desculpas por suas declarações homofóbicas. Aprendam: os gays boicotam, as pessoas mudam

por Marcio Caparica

Dia 29 de setembro Guido Barilla, diretor da empresa italiana Barilla, conseguiu fazer combo com fatality e numa mesma entrevista se declarou contra quase todas as bandeiras do movimento LGBT :

“Eu nunca faria um comercial com uma família homossexual. Não porque não os respeite mas porque eu não concordo com eles. (Minha ideia de ) família é a família clássica na qual a mulher tem um papel fundamental”

“Se os gays gostam do nosso macarrão, podem comê-lo. Se não, podem comer outra marca de macarrão.”

“Eu respeito quem faz o que quiser sem incomodar os outros. Sou a favor do casamento gay mas não da adoção por famílias gay. Como um pai de várias crianças, eu acho que é muito difícil se criar filhos por um casal do mesmo sexo.”

A notícia correu o mundo, e os gays resolveram aceitar a proposta e ingerir seus carboidratos em outra marca. As hashtags #boycottaBarilla e #boycottBarilla decolaram nos trending topics. As marcas concorrentes aproveitaram a deixa para se posicionar a favor de todos os tipos de família em suas propagandas. Milhares de assinaturas foram recolhidas ao redor do mundo em petições online contra a homofobia em nossa macarronada.

O resultado: Guido Barilla primeiro emitiu um pedido de desculpas por escrito no site da empresa, e agora gravou um vídeo em que ele bota o rabinho entre as pernas e (em inglês!) pede perdão para os gays. “Está claro que eu tenho muito o que aprender sobre o debate sobre a evolução da família”, ele diz. “Nas próximas semanas, eu prometo me encontrar com representantes de grupos que melhor reflitam a evolução da família, inclusive aqueles que se ofenderam com minhas declarações.”

Há cinco anos uma italianada dessas passaria incólume, principalmente na Itália. No momento em que os gays não ouvem mais desaforo quietinhos e agem em conjunto para atingir os homofóbicos onde dói mais – no bolso -, homofóbicos são forçados a engolir suas palavras e sambam para tentar recuperar sua imagem junto à parcela de seus clientes que, descobrem, não são tão desprezíveis assim. Vale também apontar como pequenas atitudes ao redor do globo podem causar uma mudança considerável na origem do problema. Deixar de comprar Barilla aqui no Brasil pode parecer insignificante, mas todos os quilos de lasanha que ficaram nas prateleiras ao redor do mundo fizeram a diferença.

De minha parte, os Barillas vão ter que fazer muito mais para recuperar sua imagem comigo. Não quero desculpinha, quero ações ativamente igualitárias. Que tal fazer o comercial que você jurou jamais fazer, com um casal homossexual, hein?

Quem quiser experimentar macarrão de outras marcas, pode usar essa receita fácil fácil da linda da Nigella:

Macarrão com presunto, creme de leite e ervilha

Ingredientes:

  • 200 gramas de macarrão farfalle
  • 100 gramas de ervilha congelada
  • 150 ml de creme de leite
  • 150 gramas de presunto em cubinhos
  • 2 colheres de chá de queijo ralado

Preparo

  1. Cozinhe o macarrão conforme as instruções do pacote. Aos 5 minutos, adicione as ervilhas à água fervendo com macarrão.
  2. Quando a massa estiver no ponto, escorra o macarrão e as ervilhas.
  3. Retorne a panela ao fogo e jogue nela o creme de leite, o presunto e o queijo ralado. Aqueça a mistura.
  4. Jogue o macarrão e as ervilhas de volta na panela e misture tudo.

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário