Papa Francisco excomunga padre pró casamento gay

Papa Francisco excomunga padre pró casamento gay

Então ele não é aquele ursinho carinhoso que a Globo quer vender, né?

por James Cimino

A gente sabe que tem muitas gays por aí loucas pra terem um papa pra chamar de seu. E quem melhor que o papa do pobres, o papa jesuíta, que escolheu o nome do padroeiro dos animais e que tem publicamente dado declarações que, em uma leitura rasa, parecem favoráveis aos gays?

Pois é, queridas. Esse discursinho do papa Francisco nunca me convenceu. Hoje, o historiador Timothy Stanley publicou uma nota no site do Daily Telegraph contando que “sua santidade” excomungou mais um padre que apoiava o casamento gay. Ah, mas querer que a igreja católica aceite homossexuais é uma utopia. TAMBÉM ACHO. Acho inclusive, como já disse no Lado Bi dos católicos, que gays que procuram igrejas são, pra dizer o mínimo, masoquistas.

Mas eu não posso ser gay e ter espiritualidade? Procurar Deus? Pode. E se você realmente sente isso, deve procurar a Deus. Mas procure-o em si mesmo. Não em igrejas. Igrejas se preocupam com uma coisa apenas: sua subsistência. E você, caro homossexual, não produz herdeiros e, portanto, não produz novos fieis. E isso não interessa à igreja. E quando a igreja aparentemente se interessa por você, ela se interessa pelo lucro que você pode proporcionar a ela, como bem pontua nesse vídeo de humor o fictício Pastor Adélio.

Mas voltemos à análise do discurso do papa. “Se uma pessoa é gay e busca Deus, quem sou eu para julgá-la?’ De fato, papa, quem é você para julgar qualquer pessoa? Mas vamos à primeira oração: “Se uma pessoa é gay E BUSCA DEUS”. Ou seja, é quase a mesma coisa que o Feliciano prega quando defende que psicólogos possam tratar homossexuais de sua homossexualidade. Se você não procura Deus, se você não quer se curar desse mal, se você não quer se salvar, você não presta.

E se isso não for o suficiente para você se convencer das boas intenções papais, lembrem-se de que quando ele era apenas o cardeal Bergoglio, fez uma campanha ferrenha contra o casamento igualitário na Argentina.

Na época, Bergoglio afirmou que a aprovação do casamento gay era um “ataque destrutivo ao plano de Deus” e que a adoção de crianças por homossexuais era uma maneira de difundi-lo.

Então, quando ele agora aparece dizendo que a igreja não pode interferir na espiritualidade dos gays, e que a igreja tem que parar com essa obsessão por assuntos como esse e o aborto, eu apenas me limito a dizer: obrigado por nos dizer o que temos dito há anos. Cuidem das suas vidas que nós cuidamos das nossas.

Como bem pontuou o Timothy Stanley no artigo do Daily Telegraph, o que o papa quer dizer com isso não é que ele de repente virou amiguinho das gays. “Na verdade o papa estava dizendo que ele quer que a igreja fale mais sobre o que ela é favor do que sobre o que ela é contra. Isso não quer dizer que ela será contrária a suas tradições e ensinamentos.”

Na boa? Eu prefiro essa igreja aqui:

Madonna Mdna Tour- HD-Girl Gone Wild by madonnaturkiye

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

Cássio

Não conhecia teu espaço e achei bastante interessante, até que li esta matéria. Quão profundamente tu conhece as igrejas (e eu digo de todos os tipos: católica, evangélicas, protestantes…) para falar que elas se preocupam só com a sua subsistência? Sei que tem muita coisa errada com as igrejas, mas o que tu disseste é o mesmo que dizer que a política é toda corrupta, por exemplo. É generalizar. É errado, dentro de um argumento lógico e válido. Eu tenho pessoas próximas a mim que trabalham em igrejas da periferia, em comunidades pobres, e posso te assegurar que elas estão preocupadas sim com a subsistência da sua paróquia, mas para que, com isso, possam fazer muitas outras coisas. Tenta conhecer, por exemplo, o trabalho da Pastoral da Aids, junto a comunidades carentes, tentando se desdobrar entre as imposições do Vaticano, indo contra elas muitas vezes, ao invés de ter na tua cabeça só o pensamento de que a Igreja Católica proíbe o uso da camisinha. A Igreja Católica, aqui no Brasil e na América do Latina, não é o Vaticano e está, muitas vezes, bem longe dele, física e ideologicamente.
Eu sei que meu comentário aqui não vale quase nada, mas espero que tu pense e pesquise um pouco mais antes de reproduzir teus pensamentos, caso tu julgue que este teu espaço é importante e que tu és um formador de opinião.

Reply
Mardônio

Cássio concordo plenamente com você, tanto que provavelmente publicarei uma resposta as palavras sobre gays irem à igreja do publicador dessa matéria 🙂

Reply
Rafael

Sou catolico e gay, vou a igreja por minha Fé nao to nem ai pro que ninguem fale, se forem contra mim serei contra eles, a igreja é a casa de Deus sei que sou bem vindo. Quanto a comparaçao com esse pastor foi estranhamente desnecessaria nao vi motivos para tal.

Reply
Áida

“gays que procuram igrejas são, pra dizer o mínimo, masoquistas” Só por essa frase você se iguala aos pastores, padres e todos outros preconceituosos. Você já foi em todas as igrejas ou tbm faz a linha “saiu na veja”? Sou católica, vou à missa, participo da liturgia, dos grupos de oração, etc… como qualquer outro não gay.. minha amiga participa mais que eu, pois toca violão no coral.. Somos felizes na nossa comunidade, na nossa fé, na nossa religião. E por favor, deixe um pouco a globo em paz, já basta tantos protestantes fanáticos aí p compará-la ao demônio.

Reply
Dino Pessoa

Pois então, você é hétero. Se você fosse lésbica entenderia com todas as letras o que o colunista escreveu. Mas como é hétero e católica, você só sabe achar que estão te atacando, quando na verdade vocês são a maioria.

Gentileza do colunista publicar teu comentário. Se o site fosse meu, eu pouparia meus leitores de ter de passar pelo constrangimento de ler uma coisa dessas.

Reply
Gustavo Souza

Gay católico, gay mulçumano, gay evangélico. Tá aí um paradoxo daqueles. Bichas, acordem, essas religiões não te aceitam.

Reply
Rafael

Só queria saber porque tudo é culpa da Globo? É falta de quem culpar?

Concordo que ele não é nenhum santo, mas ficar jogando a culpa em quem é mais facil não ajuda em nada.

Reply
Tiago Batista Freitas

Sou cristão e prefiro que as crianças sejam adotadas por casais homossexuais do que vivam em orfanatos. Demais disso, creio que TODA CRIANÇA ÓRFÃ, sem exceção, foi gerada por uma relação heterossexual. Estou certo?

Creio que as instituições são livres para declararem se casam ou não alguém na sua fé. Mas, num Estado Laico – que não possui religião oficial – não vejo razão para impedimento de CASAMENTO CIVIL entre pessoas do mesmo sexo. Para mim, é violação pujante ao princípio da isonomia…

Reply