George Takei

George Takei, a tia velha que a gente queria ter

Você sabem quem é George Takei? Astro de Star Trek original e diva das mídias sociais, o ator mistura ativismo e humor

por Marcio Caparica

Star Trek hoje em dia significa Chris Pine no papel de Kirk e Zachary Quinto (<3) no papel de Spock. Mas lá nos primórdios da televisão, no século passado, a série original já fazia sua parte por um mundo melhor exibindo o primeiro beijo interracial da TV americana, trazendo todas as semanas um elenco das mais diversas etnias e divulgando uma mensagem de paz e tolerância. A maior surpresa, no entanto, é que o maior legado que a série original de 1966 deixou para a era da internet seja o ator responsável pelo coadjuvantíssimo médico piloto Hikaru Sulu, George Takei.

Takei nunca se pretendeu galã de seriado, e portanto nunca fez muito esforço para ocultar sua homossexualidade – todos os trekkers desde os anos 1970 já sabiam disso e nunca se importaram. Takei sempre atuou em organizações LGBT, e em 2005 saiu oficialmente do armário numa entrevista à revista Frontier e revelou que estava numa relação estável de 18 anos. Desde então ele participa do “Coming Out Project”, que incentiva os gays a saírem do armário, e faz palestras em que ele conta histórias sobre sua descendência japonesa, sua homossexualidade e como foi participar de Star Trek.

Sua popularidade nas redes sociais começou quando ele decidiu virar tuiteiro para divulgar seu musical Allegiance, sobre os campos de aprisionamento de japoneses promovidos pelo governo dos EUA durante a Segunda Guerra. Misturando humor, ativismo e informações sobre seu trabalho, Takei primeiro conquistou os nerds, depois os gays (muitos dos quais são nerds, a gente sabe) e então para estourar foi um pulinho. Hoje ele tem mais de 825,000 seguidores no Twitter e ultrapassou 4,5 milhões de fãs no Facebook.

Em 2011, foi aprovada no estado norte-americano do Tennessee uma lei que proibia que educadores utilizassem o termo “gay” para não promover o “estilo de vida homossexual” para as crianças (é, não é só na Rússia que essas coisas acontecem). Takei rapidamente gravou um vídeo oferecendo seu nome para que os professores pudessem discutir o assunto sem quebrar a lei:

Ele também já participou várias vezes do programa do radialista Howard Stern, como por exemplo no final desse ano em que ele foi o jurado de um concurso de pinto mais bonito:

Atualmente ele promove seu livro, combate as Olimpíadas de Inverno na Rússia, e estrela uma série no Youtube em que ele aborda as questões do mundo tecnológico como só uma bicha velha meio despudorada consegue fazer. O primeiro episódio foi sobre o Google Glass, o próximo vai ser sobre namoro online:

Diz se não dá verdade de ter ele entre os amigos pra poder ficar falando merda no Facebook? Vale a pena segui-lo na sua rede social de preferência, nem que seja só para ficar por dentro do último gif animado mais bacana. E quem sabe ganhar um exemplo de como ultrapassar os 75 anos sem virar uma bicha amarga. 🙂

Apoie o Lado Bi!

Este é um site independente, e contribuições como a sua tornam nossa existência possível!

Doação única

Doação mensal:

Participe da discussão! Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários

Lis

Olha, a reportagem está mal escrita em vários contextos. Mal redigida, não possui conhecimento sobre o tema que busca evidenciar: com a causa do Geroge Takei.

Não dá para corrigir tudo, até por que não ser pago para isso, contudo me cumpre dizer que: o personagem de Takei não era médico, e sim piloto. Não era um personagem “baixo”, era, na verdade um dos personagens principais da trama. Um dos personagens fixos da série. Seu personagem teve grande importância no universo Star Trek tendo se tornado capitão de nave em outras séries có-relacionadas. Também aparece como capitão em um dos filmes baseados no universo clássico.

Não é o único legado de Star Trek, e sobretudo não é o único ali envolvido em “causas”.

Att

Responder
Marcio Caparica

Oi Lis!

Quando a gente erra não tem vergonha de admitir, então já corrigi a profissão do Sulu para “piloto”.

Agora, quanto à importância dele: o fato de um personagem ser fixo na série não quer dizer que ele seja super-importante. Por exemplo, Harry Kim era um personagem fixo em Star Trek: Voyager, o que não muda o fato de que ele era o mais coadjuvante dos coadjuvantes; ele existia na primeira temporada para cumprir o papel do oficial novato pra quem todo mundo explica tudo (e, por consequência, explica para o telespectador), e depois o pessoal não sabia muito bem o que fazer com ele.

Se o personagem se tornou capitão em aparições especiais em outras séries, isso não muda o fato de que ele era muito secundário na série original. E continua sendo secundário depois, já que está fazendo uma participação especial. Harry Kim pelo menos tinha o nome Harry desde a primeira temporada de ST:V. O Sulu, coitadinho, só foi ter seu primeiro nome oficialmente definido como “Hikaru” no sexto filme de Star Trek. Ninguém nunca chamou ele de Hikaru durante a série clássica…

Star Trek tem vários legados, mas dentre os atores da série original, eu assino embaixo da minha opinião: Takei é o mais relevante hoje. Mas pode discordar se quiser. 🙂

Responder